Tamanho do texto

Produção original da Netflix, "A Babá" diverte com cenas gore em paródia aos filmes terror que buscam chocar o espectador a qualquer custo

Gosta de filmes gore, com muito sangue , vísceras e mortes absurdas? Pois então "A Babá" é o filme perfeito para este Dia das Bruxas! Produção original da Netflix , o longa conta a história do pequeno Cole (Judah Lewis), que se empolga com a ideia de saber o que sua babá Bee (Samara Weaving) faz em sua casa depois que ele vai dormir.

Leia também: Com quarentões adolescentes, "Friends from College" garimpa melancolia no humor

Reprodução
"A Babá" faz paródia com filmes de terror gore, mortes em circustâncias absurdas e fugas improváveis

Mas, para a surpresa do jovem garoto, a babá faz parte de uma seita satânica secreta - e ela e seus amigos populares caricatos farão de tudo para permanecer em segredo. A gangue conta com a líder de torcida não muito inteligente, a loira bonita e esperta, o quarterback sem camisa, o negro que usa drogas e a asiática estranha.

Leia também: Criticada por ser diferente, "3%" investe na alegoria política com propriedade

Os atores foram muito bem escalados, e a interpretação de Samara Weaving não deixa a desejar. Ela é o tipo de babá que qualquer um desejaria para si na infância (e, por que não, pelo resto de sua vida?). Amável e extremamente protetora, Samara começa a seduzir o espectador em sua primeira aparição.

Reprodução
"A Babá" diverte com humor e enxurradas de sangue

Judah também não deixa a desejar e cumpre bem o seu papel de representar um garoto assustado, deixado em casa pelos pais que estão tentando salvar o casamento. Há alguns toques do clássico "Esqueceram de Mim", protagonizado por Macaulay Culkin - em parte, pela dupla de protagonistas, e em parte, pelas fugas e soluções encontradas pelo jovem Cole para tentar sobreviver à noite mais eletrizante de sua vida.

A medida que o filme avança, os estereótipos de cada personagem vão se reforçando, e mortes começam a acontecer de formas totalmente bizarras - como a asiática que morre por causa de fogos de artifício e o jogador de futebol que escorrega e se enforca na corda do balanço. Há ainda todo o banho de sangue que acontece toda vez que alguém morre de forma trágica - exatamente como em todos os filmes de terror gore que buscam chocar o espectador a qualquer preço.

Leia também: “Gaga - Five Foot Two” expõe uma mulher frágil por trás da máscara de Lady Gaga

"A Babá" acaba por se tornar um filme divertido, com enredo leve e que serve para distrair - apesar de todo o sangue envolvido nesse processo. Não espere um roteiro muito complexo. O longa está mais para uma paródia dos filmes gore, em que as entranhas são jogadas na cara do espectador a todo momento, e cumpre bem esse papel.

    Leia tudo sobre: