Tamanho do texto

Esta será a maior exposição da história sobre a artista nos Estados Unidos

Um dos grandes ícones da Semana de Arte Moderna no Brasil, a artista Tarsila do Amaral, será tema de exposição nos Estados Unidos em fevereiro de 2018. O Museu de Arte Moderna de Nova York ( MoMa ), um dos mais importantes do mundo, anunciou que fará a primeira grande exposição da pintora brasileira. Serão apresentadas 130 obras de uma das vanguardistas do modernismo do século 1920, em peças que passarão por toda a trajetória da brasileira, na maior exposição dela nos Estados Unidos até hoje.

Ansa
"Abaporu", uma das mais famosas obras de Tarsila do Amaral, fará parte da exposição no MoMa em 2018


Leia também: Grande obra de Lima Barreto é fio condutor da Flip 2017

Com o título " Tarsila do Amaral : inventing Modern Art in Brasil" ("Tarsila do Amaral: inventando a Arte Moderna no Brasil", em tradução livre) a mostra contará com a obra brasileira de arte mais cara de todos os tempos: o famoso "Abaporu", de 1928, que atualmente pertence ao argentino Eduardo Costantini. O título da obra é indígena e significa "homem que come carne humana" e foi a que originou o movimento antropofágico, idealizado pelo seu então marido Oswald de Andrade.

Leia também: Como a arte invade o debate sobre o gênero sexual?

Atualmente, “Abaporu” está exposta no Museu de arte latino-americana de Buenos Aires (MALBA) e é uma das telas mais valorizadas do mundo, tendo alcançado o valor de US$ 2,5 milhões pago pelo atual proprietário em leilão realizado em 1995. De acordo com o MoMa, Tarsila foi uma das responsáveis "para o nascimento da arte moderna no Brasil" e inspirou dezenas de artistas nacionais. 

Leia também: Dez novos autores brasileiros para ficar de olho

História

A paulista Tarsila do Amaral nasceu no interior de São Paulo, na cidade de Capivari em 1886, dividindo os seus estudos entre a capital e Barcelona, na Espanha. Na Europa, a artista teve contato com as vanguardas europeias que surgiam na época e acabou aderindo totalmente aos modernistas ao retornar ao país. Com o passar dos anos, a artista passou por uma fase mais social no inicio da década de 1930, tendo visitado a União Soviética e até mesmo trabalhado com a classe operária em Paris. De volta ao Brasil, a artista chegou a ser presa acusada de subversão, época em que o clássico quadro “Operários” foi produzida. Entretanto, a partir da década de 1940 retomou as suas origens artísticas e Tarsila veio a falecer em janeiro de 1973 na capital paulista.

*Com informações da ANSA