Tamanho do texto

Nova série original da Netflix, disponível para os assinantes a partir desta sexta-feira (23), mostra os bastidores de uma série sobre wrestling feminino

Uma das principais apostas da Netflix para 2017 é “Glow”, série que estreou globalmente nesta sexta-feira (23) na plataforma de streaming. Criada e produzida pelos mesmos responsáveis por “Orange is The New Black”, um dos primeiros hits da empresa, a série acompanha os bastidores de uma série sobre wrestling feminino no começo dos anos 80.

Leia também: Nova aposta da Netflix, "Glow" atende demanda por mais empoderamento na TV

As meninas de Glow chegaram para causar na Netflix
Divulgação
As meninas de Glow chegaram para causar na Netflix

“Eu acho que nós não estamos acostumados ver séries feitas por mulheres, com mulheres e para mulheres”, disse a protagonista de “Glow” na premiere da série em Los Angeles. Todo o elenco e equipe criativa do show, que tem dez episódios de meia hora, celebrou o fato da Netflix apostar em um conteúdo que celebra a diversidade e o empoderamento.

Leia também: Em sua 2ª temporada, “Love” tenta equilibrar perspectivas do casal protagonista

A série que já é sucesso de crítica tem tudo para se afirmar como um dos acertos da Netflix em 2017, ano repleto de muitas boas apostas (“Santa Clarita Diet”, “13 Reasons Why”, “Girlboss” e “”Dear White People” para citar alguns) e cancelamentos de séries que não preencheram os requisitos audiência, prestígio e/ou prêmios (“The Get Down” e “Sense 8” são casos emblemáticos).

Girl Power

A série guarda semelhanças estruturais com “Orange is The New Black”, mas tem vida própria. As coadjuvantes são apaixonantes, a sororidade é mais cativante, os anos 80 são nostálgicos, o wrestling é suficientemente exótico para um público do século XXI e as protagonistas, defendidas por Alison Brie e Betty Gilpin, duas amigas que se deparam com uma insuspeita e mal elaborada rivalidade, são complexas, delicadas e enérgicas.

Leia também: Cheia de humor negro, “Santa Clarita Diet” é 1º grande acerto da Netflix em 2017

As atrizes fizeram suas próprias cenas de wrestling, um grau de comprometimento que enobrece “Glow” enquanto programa de TV. Uma série que se assiste prazerosamente em um piscar de olhos. “É empolgação, laquê e girl power ”, resumiu Marc Maron, o único personagem masculino de destaque na trama.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.