Tamanho do texto

Existem muitos filmes de tubarão no universo do cinema; conheça os piores

Ao lançar seu " Tubarão ", em 1977, Steven Spielberg  mal poderia imaginar que criaria um culto ao tubarão, e que diversos filmes de tubarão seriam feitos a seguir. O problema é que filmar essas criaturas é impossível e o custo para ter uma máquina como a do icônico filme é muito alto - o que inviabilizaria muitas produções.

Leia também: "Gabriel e a Montanha" é premiado na Semana da Crítica em Cannes

Reprodução
"Tubarão" quebrou recordes de bilheteria no ano em que foi lançado e estabeleceu um novo nível no cinema

Contudo, os efeitos especiais estão aí para isso. Ou não. A partir desse critério, o iG selecionou os dez melhores piores filmes de tubarão já produzidos. Veja:

"Sharknado" (e todas as suas sequências)

Reprodução
"Sharknado" é um dos filmes de tubarão mais trash de todos os tempos

Se o primeiro "Sharknado" já apresenta uma série de cenas para lá de duvidosas (como tubarão mordendo o teto de um carro, voando pelos ares e acertando até helicóptero), suas sequências vão a um outro patamar de esquisitice.

Já tendo cinco filmes na franquia, os de tamanho descomunal tubarões são levados até o espaço (e engolem um astronauta!). E como se um filme não fosse o bastante, a loucura dos tubarões presos em tornados ao redor do mundo, um quinto título desta franquia já está em produção. Mal podemos esperar!

"Tubarões de Areia"

Reprodução
"Tubarões de Areia"

Neste longa muito louco, não adianta sair da água para se proteger dos ataques de tubarões! Isso porque eles andam (ou nadam) pela areia. Aliás, o longa já começa com uma dupla que está praticando motocross sendo atacada por uma criatura monstruosa que sai do solo arenoso do local.

Não bastasse essa viagem do roteiro, logo na primeira cena, o tubarão já é mostrado em todo o seu esplendor (ou falta dele). Os d efeitos especiais são um toque especial neste filme (que nem de longe é bom). No argumento tosco usado no roteiro, os tubarões se adaptaram para viver sob a areia após muitos anos encalhando nas praias. Vai entender...

"Avalanche de Tubarões"

Reprodução
"Avalanche de Tubarões" é mais um filme trash sobre tubarões nadando na neve

Não, a areia do item anterior não é bastante! E se tivéssemos tubarões nadando sob a neve? E se, para completar a loucura, esses tubarões já morassem nas montanhas há muitas décadas, quando foram convocados por indígenas que ali habitavam?

Nesse cenário louco, as feras invadem um resort localizado em uma estação de esqui dos Estados Unidos e deixam funcionários e hóspedes desesperados, sem saber onde pisam. Afinal, é uma estação de esqui e esses tubarões vivem em meio a neve. Loucura pouca é bobagem!

"O Ataque do Tubarão de Três Cabeças"

Reprodução
"O Ataque do Tubarão de Três Cabeças"

O que poderia ser melhor que mais um filme de tubarão assassino gigante com ódio gratuito da humanidade? Isso mesmo, um tubarão assassino gigante com três cabeças com o mesmo ódio gratuito da humanidade! Ainda é pouco? E que tal se a criatura fosse quase imortal e tivesse as mesmas habilidades da hydra? Ao cortar uma das cabeças do monstro deformado, crescem mais três no lugar - agora é "O Ataque do Tubarão de Cinco Cabeças".

Leia também: "Piratas do Caribe": relembre quem são os melhores coadjuvantes da franquia

Há ainda os efeitos especiais toscos, além das explosões desnecessárias e o fato de que a cena do tubarão nadando é a mesma todas as vezes em que é preciso mostrar a fera a caminho de fazer novas vítimas. Uma vantagem: três cabeças = três mortes simultâneas = o elenco é consumido mais rápido. Como se tudo isso ainda fosse pouco, o final é um grande presente para o espectador paciente: a fera morre quando uma das cabeças come a outra. Pronto.

"Do Fundo do Mar"

Reprodução
"Do Fundo do Mar"

Parir um tubarão! O sonho da vida de toda mulher (como ela engravida, é um grande mistério que não queremos desvendar). Mas é por uma causa nobre: a cura do Alzheimer. A loucura acontece quando a Dr. Suzan McAlester descobre que uma proteína presente no cérebro de tubarões da espécie Mako pode curar milhares de pessoas da doença. Para isso, ela precisa desenvolver uma glândula cerebral dos animais. O que poderia dar errado nisso? Os tubarões ficam muito inteligentes, é claro.

E aí, começa uma caçada com efeitos especiais deprimentes. No meio dessa viagem do roteiro, há até uma cena boa: o personagem de Samuel L. Jackson está fazendo um discurso inflamado sobre como exterminar as feras e como os sobreviventes deveriam trabalhar juntos, quando um tubarão salta e o corta ao meio. 

"Tubarão Fantasma"

Reprodução
"Tubarão Fantasma"

Um dos filmes mais bizarros desta lista. E se os efeitos do tubarão fossem um pouco melhores, seria capaz de deixar os espectadores com medo de ter qualquer contato com água. Um tubarão rouba um peixe de um barco e, revoltados, o pescador e sua filha decidem matar o animal, mas antes, jogam pimenta na boca dele (porque pimenta na boca dos outros é refresco). Como tiros não acabam com a fera, eles usam a arma mais normal do mundo para essa finalidade: uma granada. Fim? Não.

Antes de morrer, ele vai para uma caverna mágica, onde é ressucitado na forma de fantasma. E aí, bem, ele literalmente está em todos os lugares. Todos os lugares mesmo. Tem uma pessoa na piscina? Ele está lá. Tem alguém usando o vaso sanitário? Ele está lá. Tem alguém bebendo água? Acredite, ele está lá. E essa é uma das cenas mais viajadas do roteiro: quando o tubarão está dentro do copo de água, o homem bebe a água e engole o tubarão, que o parte literalmente ao meio. Bizarro é pouco.

"Tubarão Zumbi"

Reprodução
"Tubarão Zumbi"

Mais um filme de tubarão de roteiro duvidoso. Como se não bastasse estar em uma ilha longínqua em um hotel que, de tão ruim, não tem nem estrelas, ainda há o ataque não explicado de tubarões mortos-vivos. Quem é mordido, é contaminado e se torna um zumbi também. Além de ter um grande número de clichês, há uma overdose de explosões para todos os lados (afinal, tudo fica mais divertido quando há explosões, não é mesmo?).

Como se esses furos não fossem o bastante, há ainda alguns diálogos ruins como o que os personagens estão procurando um local com terra firme e o espectador pode observar que há terra por todos os lados - mas os protagonistas são os únicos que parecem não ver isso. O filme consegue ser tão entediante que, em um determinado momento, o espectador muda de lado e começa a torcer para Bruce - o tubarão zumbi chefe inteligente.

"Jurassic Shark"

Reprodução
"Jurassic Shark"

Chega de "Jurassic Park". O tubarão jurássico é a moda da vez. Nessa história, um grupo de amigos fica confinado com um grupo de criminosos em uma pequena ilha quando o barco em que eles estavam naufraga. O que eles não imaginam é que ali aconteceu uma perfuração ilegal de petróleo, que despertou um tubarão muito antigo de seus sonhos.

Agora, eles deverão fugir da criatura feroz. Poderia ser um filme bom, se as atuações não fossem dignas de pena e os efeitos especiais envolvendo o tubarão malvado não acabassem por transformá-lo em um dócil golfinho conforme a película avança. Além disso, há sons de guitarra sobrepondo-se sobre os diálogos adicionais. Não tem como isso dar certo.

"Exorcista de Tubarão"

Reprodução
"Exorcista de Tubarão"

Ter um tubarão aterrorizando a praia já é bastante ruim. Mas e que tal se o tubarão em questão estiver possuído pelo capeta? Bem ruim. Na confusa trama, uma freira possuída pelo demônio com sede de vingança toca o terror em uma pequena vila de pescadores ao invocar o próprio Satanás para habitar o corpo de um enorme tubarão branco.

Nessa loucura onde mortes acontecem a cada instante, quem poderá defender os pobres caiçaras? Somente um padre mesmo, que tem a difícil missão de exorcizar o animal e trazer a paz de volta à pequena ilha. E o ritual de exorcismo é digno de "O Exorcista" (só que não), envolvendo um padre com batina, crucifixos e  muita água benta. Não seria mais fácil benzer a água do mar?

"Sharktopus"

Reprodução
"Sharktopus"

Ah, um tubarão branco não é aterrorizante o suficiente? Então, que tal se fizessem um híbrido entre tubarão e polvo, com tentáculos e dentes afiados e que caminha sobre a terra? Isso é "Sharktopus". Como justificar a existência de uma criatura tão doida? Fácil: ele é fruto de um experimento militar criado para combater narcotraficantes. Mas se fosse só isso, não teria história.

Leia também: História da arte e sexualidade se entrelaçam em série de exposições no MASP

Então, o bicho precisa escapar e aterrorizar todos na praia. Com um design digno de pena, mais parece que a enorme criatura foi desenhada de qualquer jeito, em um editor de imagens da internet e apenas colada nas cenas em que deveria aparecer. As atuações também são um show a parte: quando são atacadas, as pessoas ficam em um misto entre riso e choro, impossível de distinguir. Deprimente.

Menção honrosa: "Tubarão Robô"

Reprodução
"Tubarão Robô"

"Tubarão Robô" é um filme bem ruim de tubarão que mistura a fera com os aliens, e por isso, merece uma menção honrosa nesta lista de filmes de tubarão ruins. O animal sofre um processo de robotização após morder um OVNI que cai no oceano. A partir dessa mutação, ele começa a ameaçar toda a humanidade. Os efeitos especiais para criar a temível fera não são bons, e acabam se tornando uma piada ao longo do filme. Afinal, quem levaria essa criatura a sério? 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.