Tamanho do texto

Pelo Facebook, cantora se desculpou por polêmicas geradas pelo clipe de "Você Não Presta": "É muito decepcionante que isso tenha acontecido"

Mallu Magalhães usou o Facebook para comentar as polêmicas geradas pelo clipe de "Você Não Presta", lançado na semana passada. Em nota, pediu desculpas a quem se sentiu ofendido pelo vídeo e lamentou o fato. "É muito decepcionante para mim que isso tenha acontecido", disse.

Leia também: Karol Conka responde a críticas e manda recado em clipe gravado no Japão

Mallu Magalhães no clipe de
Reprodução
Mallu Magalhães no clipe de "Você Não Presta"

O clipe de Mallu Magalhães gerou polêmica desde o seu lançamento, em 19 de maio. O vídeo mostra a cantora dançando em várias locações com um grupo de bailarinos negros. Nas redes soiciais, a cantora foi acusada de apropriação cultural e racismo, principalmente por explorar os corpos dos dançarinos negros. Em algumas cenas, a artista ainda usa uma camiseta do Oscar de 2002, cerimônia marcada pelas vitórias de Denzel Washigton e Halle Berry nas categorias de melhor ator e melhor atriz, respectivamente.

"Sei que o racismo ainda é, infelizmente, um problema estrutural e muito presente. Eu também o vejo, o rejeito e o combato", disse Mallu. "Li cada uma das críticas, dos posts e comentários, e o debate me fez refletir muito sobre o tema", garantiu.

Leia também: Casada com Thiaguinho, Fernanda Souza desabafa sobre racismo: "Não notava antes"

Veja abaixo a nota de Mallu Magalhães:

"Fico muito triste em saber que o clipe da música “Você não presta” possa ter ofendido alguém. É muito decepcionante para mim que isso tenha acontecido. Gostaria de pedir desculpas a essas pessoas. Meu trabalho e minha mensagem têm sempre finalidade e ideais construtivos, nunca, de maneira nenhuma, destrutivos ou agressivos.

A arte é um território muito aberto e passível de diferentes interpretações e, por mais que tentemos expressar com precisão uma ideia, acontece de alguns significados, às vezes, fugirem do nosso controle.

Sei que o racismo ainda é, infelizmente, um problema estrutural e muito presente. Eu também o vejo, o rejeito e o combato.

Li cada uma das críticas, dos posts e comentários, e o debate me fez refletir muito sobre o tema. Entendo as interpretações que derivaram do clipe, mas gostaria de deixar claras minhas reais intenções.

A ideia era ter um clipe com excelentes dançarinos que despertassem nas pessoas a vontade de dançar, de se expressar. Foram convidados pela produtora e pelo diretor os bailarinos Bruno Cadinha, Aires d´Alva, Filipa Amaro, Xenos Palma, Stella Carvalho e Manuela Cabitango. Com a última, inclusive, tive a alegria de fazer aulas para me preparar para o vídeo.

É realmente uma tristeza enorme ter decepcionado algumas pessoas, mas ao mesmo tempo agradeço a todos por terem se expressado. E reitero o meu pedido de desculpa. É uma oportunidade de aprender.

Espero que, após este esclarecimento, seja aliviado deste espaço de conversa qualquer sentimento de ofensa ou injustiça, ficando os fundamentos nos quais tanto acredito: a dança, a arte e o convite à música."

Leia também: "A 13ª Emenda" revela o racismo institucionalizado nos Estados Unidos

No Facebook, muitos fãs parabenizaram a atitude de Mallu Magalhães. "Eu achei muito esquisito o clipe, toda a expressão corporal dissonante e concordo com muitas das críticas. Fico feliz que você tenha ouvido, assimilado e pedido desculpas", disse um seguidor. "Sempre esteve claro que não foi sua intenção. Seu posicionamento aliviou meu coração", disse outra.

    Leia tudo sobre: músicas
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.