Tamanho do texto

Novo filme da série tem boas piadas, cenas de ação cativantes e elenco afinado para conquistar até quem nunca assistiu às versões anteriores

Pode esquecer os efeitos especiais toscos e as fantasias de qualidade duvidosa: o novo "Power Rangers" é, sim, um filme bom. O novo longa da série estreia no Brasil nesta quinta-feira (23) com um elenco afinado, uma boa história e apostando na fórmula da Marvel de levar piadas – que são de fato engraçadas – para os filmes de super-heróis.

Leia também: Atores de "Power Rangers" destacam união e diversidade do elenco

O novo
Divulgação
O novo "Power Rangers" estreia no Brasil nesta quinta-feira (23)

Os cinco novos rangers adolescentes chamam a atenção pela sintonia e desenvoltura. Dacre Montgomery (vermelho), Naomi Scott (rosa), RJ Cyler (azul), Becky G (amarela) e Ludi Lin (preto) parecem se conhecer há anos e são os melhores Power Rangers em muito tempo.

O filme é uma nova versão da história clássica e conta desde o surgimento dos guerreiros até sua batalha final contra a vilã Rita Repulsa (Elizabeth Banks). Com pouco mais de duas horas de duração, o longa gasta muito tempo focando na relação que tem que ser desenvolvida entre os Rangers e dá pouco espaço para as cenas de ação – na verdade, a única batalha mesmo é a contra Rita Repulsa, que acontece só no final.

Leia também: "Doutor Estranho" impressiona com efeitos visuais e boas atuações

História de amizade

Apesar de ser um pouco exaustivo, é interessante ver como os adolescentes vão se conhecendo e como isso é primordial para que eles possam formar uma equipe de verdade. A coisa só não fica cansativa de verdade porque o elenco mostra uma habilidade incrível de entreter o público.

Quem se sobressai é RJ Cyler. Interpretando um geek que não é a pessoa mais sociável do mundo, o americano cativa com uma boa atuação e ganhou o personagem com mais piadas. A britânica Naomi Scott se destaca na pele da durona Kimberly, enquanto o bad boy Jason ganha uma interpretação bem real nas mãos do australiano Dacre Montgomery.

Leia também: Painel da Paris Filmes tem público recorde e homenagem a Chapecoense

Da esquerda para a direita: RJ Cyler, Naomi Scott, Ludi Lin, Becky G e Dacre Montgomery são os novos
Divulgação
Da esquerda para a direita: RJ Cyler, Naomi Scott, Ludi Lin, Becky G e Dacre Montgomery são os novos "Power Rangers"

Quando a ação finalmente aparece, as cenas são bem diferente do que os fãs dos anos 1990 se lembram. Nade de explosões mal feitas, faíscas e movimentos super exagerados. Em vez disso, as batalhas têm um show de efeitos especiais e dinozords que deixam adultos e crianças com brilho nos olhos – e nem é preciso dizer que o Megazord também é incrível.

Numa época em que Marvel e DC elevaram os filmes de heróis a outro patamar , "Power Rangers" vem para refrescar a série e tirar qualquer estigma de subprodução que ela poderia ter. Para os fãs, "Power Rangers" finalmente pode ir para seu devido lugar.