Tamanho do texto

Beyoncé, Drake, Justin Bieber e até os Beatles já foram injustiçados pela premiação; relembre na lista os grandes erros do Grammy

Todos os anos, os fãs de música ficam ansiosos pelo Grammy . Parte da expectativa é para ver quem vão ser os vencedores, mas parte é para ver os perdedores injustiçados – algo que, sinceramente, acontece praticamente todo ano.

Leia mais: As 10 melhores performances da história do Grammy

Beyoncé protagonizou uma das grandes polêmicas do Grammy ao perder o prêmio de álbum do ano para Beck
Divulgação
Beyoncé protagonizou uma das grandes polêmicas do Grammy ao perder o prêmio de álbum do ano para Beck

Na lista abaixo, o iG reuniu os 10 maiores injustiçados da história do Grammy. Veja:

Beyoncé (2015)

A premiação do ano passado teve uma das maiores polêmicas de todos os tempos: o prêmio de álbum do ano ficou com  Morning Phase , de Beck, em vez de ter ido para o aclamado disco homônimo de Beyoncé. A situação gerou tanta revolta que Kanye West afirmou que o cantor deveria respeitar a arte e ceder o prêmio para Bey. Naquele ano, também concorreram  X (Ed Sheeran),  G I R L (Pharrell Williams) e  In the Lonely Hour (Sam Smith).

Ed Sheeran e Kendrick Lamar (2014)

Kendrick Lamar
Reprodução/Facebook
Kendrick Lamar

Em 2014, a polêmica rolou no prêmio de artista revelação. Os rappers Macklemore & Ryan Lewis ficaram com o troféu e, para isso, bateram os aclamados Ed Sheeran e Kendrick Lamar. Três anos depois, é bem perceptível quem merecia mais o prêmio. Naquele ano, também concorreram James Blake e Kacey Musgraves.

Frank Ocean e Alabama Shakes (2013)

Alabama Shakes
Divulgação
Alabama Shakes

No ano anterior, outra polêmica no prêmio de artista revelação. Desta vez, quem levou o troféu para casa foi o fun., batendo Frank Ocean e Alabama Shakes. Ambos os adversários da banda de Nate Ruess foram indicados à categoria de álbum de ano, enquanto o grupo nunca deslanchou. Naquele ano, também concorreram Hunter Hayes e The Lumineers.

Leia mais: Como Adele se tornou a rainha do Grammy

Nicki Minaj (2012)

Nicki Minaj
Divulgação
Nicki Minaj

Mais um ano, mais uma controvérsia no prêmio de artista revelação. Em 2012, o indie rock bateu o pop quando Bon Iver bateu Nicki Minaj na categoria. Ao todo, a cantora já recebeu 10 indicações à premiação, mas nunca ganhou. Naquele ano, também concorreram J. Cole, Skrillex e The Band Perry.

Drake, Justin Bieber e Florence + The Machine (2011)

Drake
Divulgação
Drake

A premiação de 2011 vai ser para sempre lembrada como a que teve um dos piores erros da história do Grammy. A polêmica aconteceu no prêmio de artista revelação e, desta vez, foi tripla: Esperanza Spalding bateu Drake, Justin Bieber e Florence + the Machine para levar o troféu para casa. Até o Mumford & Sons, o quinto indicado à categoria, acabou tendo uma carreira maior e mais interessante que a de Esperanza Spalding.

Kanye West e Amy Winehouse (2008)

Amy Winehouse
Divulgação
Amy Winehouse

Em 2008, a controvérsia voltou ao prêmio de álbum do ano.  O seminal  Back to Black , de Amy Winehouse, e  Graduation , de Kanye West, eram os favoritos, mas  Echoes, Silence, Patience & Grace , do Foo Fighters , e  These Days , de Vince Gill, corriam por fora. No fim, quem ganhou o grande prêmio da noite foi Herbie Hancock com  River: The Joni Letters .

Eminem e Radiohead (2001)

Radiohead
Divulgação
Radiohead

Em 2001, mais uma polêmica na categoria mais importante da noite. Naquele ano, os favoritos ao prêmio de álbum do ano eram  The Marshall Mathers LP  , de Eminem, e  Kid A , do Radiohead. O vencedor acabou sendo Steely Dan com  Two Against Nature . Os outros dois conocorrentes eram  Midnite Vultures (Beck) e  You're the One (Paul Simon).

Leia mais: Beyoncé e Adele lideram indicações ao Grammy 2017

Prince e Bruce Springesteen (1985)

Prince
Divulgação/Warner
Prince

O álbum  Purple Rain , de Prince, é um dos mais icônicos de todos os tempos, mas não levou o prêmio de álbum do ano. Em 1985, o cantor concorria cabeça a cabeça contra o ótimo  Born in the U.S.A. , de Bruce Springsteen, mas os dois discos foram esnobados. Quem levou o prêmio foi  Can't Slow Down , de Lionel Richie, que ainda bateu  She's So Unusual , de Cyndi Lauper, e  Private Dancer , de Tina Turner.

Pink Floyd e Frank Sinatra (1981)

Pink Floyd
Divulgação
Pink Floyd

Em 1981, a disputa pelo álbum do ano era uma das mais concorridas. Entre os favoritos, estavam  The Wall , do Pink Floyd, e  Trilogy: Past Present Future , de Frank Sinatra. Entretanto, o vencedor foi Christopher Cross, com seu álbum homônimo. Ainda estavam no páreo  Glass Houses (Billy Joel) e  Guilty (Barbra Streisand).

The Beatles (1967)

The Beatles
Reprodução
The Beatles

Por incrível que pareça, até os Beatles já foram injustiçados no Grammy. Em 1967, o álbum  Revolver , um dos mais icônicos da carreira dos britânicos, concorria ao prêmio de álbum do ano, mas acabou sendo preterido por  A Man and His Music , um trabalho gigante de Frank Sinatra. Ainda concorriam  Color Me Barbra (Barbra Streisand),  Dr. Zhivago Soundtrack (Maurice Jarre) e  What Now My Love (Herb Alpert and the Tijuana Brass).

O Grammy Awards 2017 acontece em Los Angeles, nos Estados Unidos, neste domingo (12). A cerimônia será transmitida ao vivo pelo canal fechado TNT a partir das 23h.

    Leia tudo sobre: músicas