Tamanho do texto

Filmes que contam a história de personagens reais já entraram na lista de indicados do Oscar diversas vezes; relembre os mais emblemáticos

Os indicados a um dos prêmios mais respeitados do cinema , o Oscar, foram divulgados nesta terça-feira (24) trazendo grandes nomes para a disputa das estatuetas e, entre eles, aparece o de Natalie Portman, que estrela no filme de Pablo Larraín, “Jackie”. A cinebiografia , indicada a três Oscars, recorda a história de Jacqueline Kennedy, a primeira-dama dos Estados Unidos entre 1961 e 1963.

Natalie Portman recebeu indicação ao Oscar por sua interpretação em
Divulgação
Natalie Portman recebeu indicação ao Oscar por sua interpretação em "Jackie"


Leia mais:  "Elis" cumpre dívida histórica e faz merecida homenagem a Elis Regina

Entretanto, “Jackie” não é a primeira cinebiografia com figuras políticas que é cotada para o Oscar . Outros filmes chegaram a conquistar diversas estatuetas, como “O Discurso do Rei” que em 2011 recebeu 12 indicações ao prêmio, levando as categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original e Melhor Ator, para Colin Firth. O enredo remontava a história do rei George VI, pai da atual rainha da Inglaterra, Elizabeth II, que devido à dificuldades com a fala, tem que contratar um fonoaudiólogo para ajudar a superar a gagueira, mas acaba tornando-se um grande amigo.

“A Dama De Ferro” também foi uma das cinebiografias que emplacou no Oscar e rendeu à premiada atriz Meryl Streep mais uma estatueta de melhor atriz pela sua interpretação da britânica Margareth Thatcher. O longa conta a história da ascensão da primeira-ministra da Inglaterra, suas medidas no poder e a polêmica Guerra das Malvinas. Além de melhor atriz, o filme também levou o prêmio por melhor maquiagem.

Leia mais:  Oscar 2017: Dez tendências para a maior festa do cinema

A história de grandes músicos também emplacaram no Oscar, como foi o caso de Johnny Cash, que rendeu à Joaquin Phoenix a indicação à melhor ator por “Johnny & June” e de melhor atriz para Reese Whiterspoon, que venceria por sua caracterização de June Carter. O filme traz a vida do músico desde sua infância, com a morte do seu irmão mais velho, suas tentativas de chegar ao universo musical e problemas com drogas. Entretanto, um dos principais focos do filme é a relação de Johnny com a também cantora June Carter.

A história da francesa Édith Piaf também rendeu à Marion Cotillard o Oscar de Melhor atriz pela interpretação da cantora em 2008 no filme “Piaf – Um hino ao amor”. O filme conta a ascensão da cantora na Europa e, mais tarde, no mundo inteiro. A obra também foi indicada ao Oscar de melhor maquiagem, mas não levou a estatueta.

Leia mais:  Ensaio fotográfico com celebridades destaca melhores atuações de 2016 no cinema

Confira mais cinebiografias que emplacaram no Oscar: