Tamanho do texto

Estrelada por Neil Patrick Harris, nova série da Netflix apaga o trauma do filme de Jim Carrey e deve agregar mais fãs para a saga de Lemony Snicket

Os fãs de " Desventuras em Série " que assistiram ao filme estrelado por Jim Carrey podem enfim se recuperar do trauma graças à nova série da Netflix , que estreia nesta sexta-feira (13). Protagonizada por Neil Patrick Harris , a produção é finalmente uma adaptação à altura da saga do autor Daniel Handler.

Leia mais: "Desventuras em Série" é cereja do bolo de lançamentos da Netflix em janeiro

Com Neil Patrick Harris,
Divulgação/Netflix
Com Neil Patrick Harris, "Desventuras em Série" chega completa à Netflix nesta sexta-feira (13)

Dividida em oito episódios, a primeira temporada de " Desventuras em Série " foca em um livro a cada dois capítulos. Ao todo, a saga de Daniel Handler, escrita sob o pseudônimo de Lemony Snicket, tem 13 livros, enquanto a série deve ter duas temporadas.

O papel principal ficou com Neil Patrick Harris ("How I Met Your Mother"), intérprete do vilão Conde Olaf, que faz de tudo para por as mãos nos irmãos Baudelaire e em sua fortuna. Na série, os órfãos são vividos pela atriz de 13 anos Malina Weissman e pelo garoto Louis Hynes. 

Mundo mágico

O que mais impressiona na nova série da Netflix é a capacidade de recriação do universo descrito por Lemony Snicket na saga. O mundo em que a história se passa não chega a ser fantástico, mas tem peculiaridades que conseguiram ser levadas para a tela.

Leia mais:  "Nunca passei tanta maquiagem", diz Neil Patrick Harris sobre viver Conde Olaf

O trabalho dos atores, aliado à produção dos cenários, faz com que o espectador mergulhe nesse universo. Neil Patrick Harris foi a escolha perfeita para interpretar Olaf. Apesar de ser um personagem puramente malvado, ele tem uma aura cômica que consegue ser traduzida muito bem pelo ator. Nos disfarces e shows cênicos do vilão, Harris se destaca, vira um dos pontos altos da série e manda lembranças para os votantes do Emmy e Globo de Ouro.

As crianças, por outro lado, são fiéis representações das descrições dos livros – e surpreendem pela atuação. Tanto Weissman quanto Hynes fazem seu primeiro grande trabalho, mas isso não os assustou e os jovens atores tiraram o desafio de letra.

Profundidade

A ideia de adaptar uma saga de 13 livros pode ser bem pretensiosa, principalmente depois do fracasso do filme de 2004. Mas os primeiros episódios da série da Netflix mostram que os produtores souberam lidar bem com o desafio.

Leia mais: Oito produções originais que colocam em xeque a qualidade da Netflix

As histórias dos episódios não são condensadas como foram no filme e a divisão de dois capítulos por livro faz com que cada volume da saga tenha cerca de duas horas de tela. Além disso, as conexões entre as histórias fazem com que a série seja facilmente devorada em menos de uma semana – como é costume nos hits da Netflix.

Quem leu os 13 volumes de "Desventuras em Série" e sofreu com o filme de Brad Silberling, finalmente terá sua redenção, 13 anos depois. Mais do que uma produção para quem já conhece a saga, a nova série da Netflix tem tudo para agregar mais fãs e elevar a obra de Lemony Snicket ao patamar de "Percy Jackson", "As Crônicas de Nárnia" ou até "Harry Potter".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas