Especial de Chitãozinho e Xororó será exibido na TV. Saiba os detalhes
Marcelo de Assis
Especial de Chitãozinho e Xororó será exibido na TV. Saiba os detalhes

Em comemoração aos 50 anos de carreira, a lendária dupla sertaneja Chitãozinho & Xororó ganhará um especial que será exibido na TV Globo no dia 1º de junho.

O programa será produzido pela equipe do programa Conversa com Bial , que contará com performances inéditas. A direção artística ficará por conta de Monica Almeida e direção geral de Gian Carlo Belotti.

O programa contará com diferentes e emocionantes momentos que conjugam entrevistas conduzidas por Pedro Bial com resgates inéditos, suportados por um rico material de arquivo, e musicais.

“Tem algumas vertentes que seguimos, como uma parte de memória afetiva muito forte. Mergulhamos a fundo na pesquisa deles com fotos, histórias de família, de tudo o que se pode imaginar. Também traremos um musical acústico, mais intimista, ao redor de uma fogueira, em um papo delicioso com Bial, e um outro momento com uma apresentação grande e de muito significado: montamos um show num circo, que foi o espaço onde a carreira deles começou” , explica Gian.

“É um pouco musical, um pouco entrevista, um pouco documentário, mas, ao mesmo tempo, não é nenhuma dessas coisas convencionalmente. Utilizamos recursos desses gêneros para fazer um programa que é uma viagem no tempo, de 50 anos. Encontramos um jeito para tornar a música tão informativa e significativa para a história quanto o texto e as falas. Tudo é diversão e informação ao mesmo tempo” , define Pedro Bial. “Me emocionei muito, porque acho que todo brasileiro vai se identificar. Na verdade, é uma trajetória que funciona como espelho para o Brasil e para cada um de nós, como aventura coletiva, que é a construção de uma nação, e individual, com os nossos sentimentos”, acrescenta.

Chitãozinho & Xororó iniciaram a carreira no final da década de 1960 e, no começo de 1970, lançaram o primeiro álbum, Galopeira. A dupla, natural do Paraná, veio para São Paulo na esperança de construir solidez profissional com um estilo musical que se limitava, na época, ao campo.

Com raízes na música caipira, representam a modernização do estilo ao incluírem, pela primeira vez, instrumentos como guitarra elétrica e banjo – o que configura uma transformação cultural ordenada à intensificação da industrialização agrícola, ou seja, à modernização da atividade rural.

Deste modo, além de protagonizar “uma nova música sertaneja” , a dupla figura a história de milhares de brasileiros do campo e que viveram o êxodo rural.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários