Luan Santana convidou alguns de seus músicos, moradores da região de Londrina (PR), para tocar e jogar conversa fora ao lado do seu clã, engatando um repertório só de modão.

Luan Santana
Divulgação/Caldi
Luan Santana


“E se a gente reunisse a família e os amigos que estão por perto para um modão lá no sítio?”, falou o cantor na ocasião. Os registros feitos foram parar nas mãos de Gui Dalzoto, que também gravou a cena toda e trabalhou na montagem e edição das imagens.

Alguns frames foram pipocando, na época, pelas redes sociais do artista, mas a repercussão alimentou a iniciativa de dar um acabamento de estúdio àquela despretensiosa roda de amigos e familiares, para disponibilizar toda a apresentação ao público.

Nasceu daí a Confraternização Família Santana, batismo que é uma remissão às nostálgicas etiquetas que identificavam as gravações caseiras da saudosa fita K-7.

Luan Santana, de 29 anos, teve a chance de conhecer o objeto graças ao pai, que gravou os primeiros registros do talento que já via no filho desde muito pequeno.

Serão 17 canções, com lançamento desde a última quinta-feira (27). No contexto: três EP’s, sendo dois com seis faixas e um com cinco. No total de nove semanas, o público terá acesso ao material e, a cada quatro dias, um vídeo intimista, mostrando o Luan cantando em meio a momentos com a família, vai invadir as plataformas.

Dizem que quem faz o que gosta não trabalha, pois a profissão é um prazer que pode soar como lazer. Embora estivessem em Porecatu fazendo música, profissão de todos, a lazer, a intenção de promover um encontro sem compromisso com horário, contratante ou gravadora, rendeu um repertório igualmente despretensioso, desses que se toca entre amigos e ao gosto da família.

O lançamento de Confraternização Família Santana é realizado pela The Orchard, braço de distribuição digital da Sony Music Entertainment.

    Veja Também

      Mostrar mais