Fábio Faria e Jair Bolsonaro
Reprodução/Instagram
Fábio Faria e Jair Bolsonaro

Fábio Faria também recorreu às redes sociais para comentar as últimas notícias envolvendo  Giovanni Quintella Bezerra, detido em flagrante e indiciado por estupro de vulnerável após ser gravado colocando o pênis na boca de uma mulher durante uma cesárea em um hospital público de São João do Meriti, na Baixada Fluminense. 

"O  anestesista estuprador, que cometeu um dos crimes mais cruéis, é simpatizante de esquerda. Mas eu não li uma linha na mídia fazendo esse link. Por que só fazem rótulos com Bolsonaro? Método, torcida ou campanha antecipada?", questionou o  ministro das Comunicações, por meio de sua página no Twitter.


Para quem não ligou o post aos fatos,  o marido da apresentadora Patrícia Abravanel, do SBT, estava se referindo à repercussão da morte do guarda municipal  Marcelo Arruda, tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu (PR), assassinado por um seguidor de Jair Bolsonaro, que ganhou destaque na imprensa internacional. 

Além disso,  Faria compartilhou a publicação na qual o presidente lamenta que "a nossa Constituição não permita sequer que o maldito que abusou de uma paciente grávida anestesiada no Rio de Janeiro apodreça para sempre na cadeia, sem nenhum tipo de privilégio" e destacou que "direitos humanos é para a vítima, esse vagabundo que se exploda!". 



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários