Zé Leôncio explica o que é homofobia em Pantanal
Reprodução/Globoplay
Zé Leôncio explica o que é homofobia em Pantanal

Mesmo com a primeira vez de Juma (Alanis Guillen) e Jove (Jesuíta Barbosa) sendo o destaque do capítulo desta segunda-feira (4), o assunto mais comentado nas redes sociais foi a aula que Zé Leôncio (Marcos Palmeira) deu ao seus peões sobre homofobia depois que Zaquieu (Silvero Pereira) foi embora do Pantanal, após ser alvo de piadas e deboches. 

"Isso que vocês fizeram, tem nome e não é piada, não. É homofobia! E é crime!", explicou Zé Leôncio. Antes, o peão perguntou aos seus funcionários se alguém teria falado algo para Zaquieu para ele ir embora do Pantanal de repente, mas Tadeu (José Loreto) afirmou que não falaram nada.

"Eu sei lá. Nóis nunca falamos nada demais com ele. Se troquemo meia dúzia de palavra, foi muito", disse.

Zé Lucas (Irandhir Santos) explicou o que aconteceu: "Acho que foi a ignorância dos peão aqui, pai. Ficaram tudo rindo do jeito dele". "Ah, também se não rir daquele jeitinho, vai rir mais do quê?", perguntou Tadeu. "Então, vocês riram?", rebateu Zé Leôncio.

"Não tinha como não rir, não, meu pai. Ocê tinha que ver o jeito esquisitinho dele. Na hora que tomou susto com o jacaré, deu até um pulinho", declarou ao pai.

Com isso, Tadeu e Zé Leôncio discutiram e deram o exemplo de quando Jove chegou ao Pantanal e todo mundo achava que ele era "flozô". "Ainda que ele fosse não ia mudar ele em nada", explicou ao filho. 

Após ouvir que homofobia é crime, Tadeu ficou irritado e afirmou que seria preso: "Vamo todo mundo preso. Eu, o Trindade (Gabriel Sater). A começar pelo senhor, né, meu pai?". "Era isso mesmo que tinha que acontecer. Se nós estivéssemos num país sério, todo mundo que sorrisse do jeitinho dos outros é cadeia, xadrez", respondeu Zé Leôncio. 

O dono das fazendas aproveitou para dizer que não aceitará mais nenhum tipo de preconceito em suas terras: "Ocê não sabia que isso era tão sério, Tadeu. Eu também não sabia. Nenhum de nós sabia disso aqui. A verdade é que crescemos e vivemos sorrindo disso aqui tudo. Achando que o sujeitinho por ser diferente é sem caráter, é sem valor, mas não é", explicou. 

"Já que nós estamos tudo aqui reunido. Quero que ocês saiba que de hoje em diante, quem fizer pouco caso de alguém seja pelo motivo que for, pode ajudar as suas tralhas de arreio e simbora daqui. Cabô essa história!", completou. "A começar por eles (seus filhos), que é para dar o exemplo", finalizou.

Primeira versão

Mas como foi essa cena na primeira versão da novela, em 1990? Completamente diferente! Zé Leôncio, interpretado por Cláudio Marzo, até chegou a perguntar o que tinha ocorrido com Zaquieu (João Alberto Pinheiro), mas ao invés de defender, riu e debochou do funcionário de Mariana (Natália Timberg) junto aos outros peões. 

"Eu tava lá em casa quando ele chegou dizendo que tinha visto um jacaré de dois metros, ai falei que era filhote", disse dando risada. "Isso que é um flozô, né?", continuou Zé Leôncio, fazendo todo mundo presente na cena rir. Tibério (Sérgio Reis) afirmou que Zaquieu era uma boa pessoa e seu patrão concordou.

"A dona Mariana, minha sogra, tem muito respeito por ele, gosta muito do rapaz. Ela ficou aborrecida por ele ter ido embora desse jeito", declarou Zé Leôncio. Zé Lucas (Paulo Gorgulho) perguntou se o pai queria que eles tentassem buscar Zaquieu de avião, mas o rei do gado logo negou e Tadeu (Marcos Palmeira) completou: "Larga a mão desse flozô pra lá". 

Veja as cenas e compare:

*Com a colaboração de Gabriela Ramos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários