Carlinhos da Silva é processado pelo ativista Agripino Magalhães por homofobia
Reprodução/Instagram
Carlinhos da Silva é processado pelo ativista Agripino Magalhães por homofobia


Mais um episódio lamentável na biografia de Carlinhos da Silva, o Mendigo, ex-integrante do Pânico: ele sumiu do mapa e obrigou a Justiça a iniciar uma busca por seu paradeiro para responder a um processo por homofobia. Ele foi procurado por diversas vezes em seus endereços residenciais, e agora uma publicação no Diário Oficial pede para ele dar as caras.

A juíza Cecilia Pinheiro da Fonseca, da 3ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, determinou que ele se manifeste no prazo de dez dias para atualizar seus dados, como endereço e telefone de contato, e apresente sua equipe jurídica que cuidará de sua defesa no processo.


Leia Também

Caso ele não se manifeste nesse período, a Justiça irá escolher um curador especial da Defensoria Pública para fazer sua defesa. Ele foi procurado em dois endereços que constam em seu nome: um em São Paulo, capital, e outro em Rondonópolis, em Mato Grosso.

O processo por homofobia foi aberto por Agripino Magalhães, suplente de deputado estadual e ativista da Aliança Nacional LGBTI+, após o humorista fazer uma publicação de teor homofóbico em suas redes sociais. 

"Prefiro ser órfão, do que ser adotado por uma mulher operada que se passa por homem, para ter o privilégio de adotar uma criança. Prefiro ser também órfão, do que ser criado por um homem operado se passando também por mulher para querer ser mãe", escreveu Mendigo na ocasião. A publicação, segundo a ação movida pelo advogado Angelo Carbone, incita o ódio aos homossexuais e transexuais.

Caso não compareça, o advogado do ativista pretende pedir a prisão de Carlinhos por conta de suas falas de teor homofóbico.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários