Stanley Bittar
Arquivo pessoal

Stanley Bittar, o responsável pela marca

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) aponta que o setor de franquias apresentou aumento de 8,8% de faturamento no primeiro trimestre de 2022 em comparação com o mesmo período do ano passado, o que demonstra uma recuperação do setor após os efeitos da pandemia de Covid-19. Frente a igual período de 2021, a receita passou de R$ 39,88 bilhões para R$ 43,38 bilhões.

Quanto à receita das franquias no período acumulado de 12 meses, o crescimento foi ainda maior, com uma variação de 13,9% e faturamento que avançou de R$ 165,53 bilhões para R$ 188,56 bilhões – patamar equivalente ao período pré-pandemia. Foi o quarto trimestre seguido de alta do setor.

As franquias de saúde, beleza e bem-estar trabalham com a expectativa de um desempenho este ano que as faça superar as marcas de 2019. O mercado de franquias dessas duas áreas cresceu 10,5% nos últimos anos, chegando a aproximadamente 30 mil lojas no País. Dados da ABF mostraram que o faturamento de franquias, do ramo da saúde, beleza e bem-estar, teve um aumento de 11,2%, em comparação com 2020 e 2021, resultando em aproximadamente R$39 bilhões.

Mais de 42 milhões de brasileiros são atingidos pela calvície, que diante de um dado tão expressivo criou até o dia dos carecas no Brasil, comemorado em 14 de março. Em razão dessa grande demanda, surge a cada dia uma nova clínica de transplante de cabelo no País. “O segmento, que nem foi o mais afetado pela pandemia, está com uma demanda reprimida que pode impulsionar ainda mais as franquias da área nos próximos meses. Os desafios são manter o padrão de qualidade com incremento na qualificação de pessoal e nos controles de qualidade”, afirma o médico e empreendedor Stanley Bittar de Almeida, fundador da maior rede de clínicas de transplante e terapia capilar do Brasil, a Stanley’s Hair.

Bittar quer democratizar o acesso ao procedimento e à terapia capilar, colocando o serviço ao alcance de todos. “Meu maior objetivo sempre é democratizar os transplantes capilares no Brasil, cuidando da saúde e da autoestima das pessoas. Conseguimos oferecer por R$ 15 mil tratamentos que custavam R$ 50 mil até bem pouco tempo. Para isso, investimos no marketing, aumentamos o volume de clínicas e reduzimos os custos consideravelmente, além de adotarmos formas seguras para facilitar o pagamento por meio de parceiros bancários”, completa o CEO da Stanley’s Hair.

Embora não seja uma franquia apenas para médicos, admitindo outros profissionais e investidores, Bittar comenta que o ideal é que o quadro societário conte com um profissional médico que assuma a parte técnica. “Nossa meta é atender todas as capitais e Distrito Federal e depois cidades com mais de um milhão de habitantes. Pretendemos chegar ao fim do ano com 33 clínicas em funcionamento, com investimento médio de R$ 1 milhão por unidade”, adianta.

Ser referência em transplante e terapia capilar no mundo é uma das metas traçadas pela rede Stanley’s Hair, que busca também apresentar sua metodologia e oferecer uma esteira de produtos completa. “Mas sonho mesmo é levar a nossa rede Stanley’s Hair para um IPO, ou seja, tornar nossa rede em uma empresa de capital aberto e, assim, passar a ter acesso a uma série de fontes alternativas de financiamento no mercado de capitais, como fundos de investimento”, menciona.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários