Datena e Bolsonaro
Band e Twitter
Datena e Bolsonaro

José Luiz Datena, que já confirmou que concorrerá nas eleições de 2022,  criticou Jair Bolsonaro (sem partido) nesta quarta-feira (04). As críticas foram difundidas durante o "Brasil Urgente", enquanto o apresentador falava sobre a ideia do presidente de retomar o voto impresso. "Eu não sei porque esses caras ficam discutindo tanto eleição no Brasil, desde o presidente da República ao presidente da câmara. Esses caras que querem voto impresso, vocês todos foram eleitos por urnas eletrônicas. Quer dizer que vocês todos fraudaram as eleições? Vocês foram eleitos com eleições fraudadas?", perguntou o apresentador.

"Então por que não zera tudo e volta tudo de novo? Isso vocês não querem, né? Nunca vi o cara ganhar as eleições e discutir votos. Então quer dizer que vocês todos foram eleitos, inclusive o presidente da República foram eleitos por eleições fraudulentas? Só pra entender. Parem de discutir isso", afirmou o jornalista.

Filiado recentemente ao PSL , o apresentador José Luiz Datena confirmou em entrevista à revista  Veja  que seu nome estará nas urnas nas eleições de 2022. Cotado como alternativa a Lula e Bolsonaro, ele disse, entretanto, que não sabe ainda se sua candidatura será ao Senado, ao governo de São Paulo ou à presidência. Segundo ele, está nas mãos do partido.

"Isso depende do partido. Eu continuo ancorado com a possibilidade de disputar o senado ou o governo de São Paulo. Por enquanto eu sou apresentado como pré-candidato único do PSL e não tenho medo nenhum de disputar a Presidência da República. Pelo contrário. Cada vez mais se concretiza a possibilidade de que exista mesmo uma terceira via para que o brasileiro tenha mais opções. O Brasil precisa pensar em si, não só em duas pessoas. Lula e Bolsonaro já fizeram o que tinham que fazer pelo Brasil", disse.

Com 7% das intenções de voto, s egundo levantamento divulgado ontem pelo Paraná Pesquisas, Datena ainda especulou uma possível aliança com outro nome da "terceira via": o pedetista Ciro Gomes. "Sem o Bolsonaro e sem o Lula eu abriria uma vantagem grande sobre o Ciro, que é um candidato muito bom. Na média das pesquisas eu e ele temos 7% cada um. Juntos, 14%. Já pensou numa aliança com o Ciro? (...) Não está afastada nenhuma possibilidade. Para você quebrar a probabilidade de ter uma disputa entre só dois, alguém deve abrir mão."


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários