Tico Santa Cruz fala sobre Bolsonaro e haters
Reprodução/Instagram
Tico Santa Cruz fala sobre Bolsonaro e haters

Tico Santa Cruz fez uma live neste sábado (17), especialmente para mandar um recado a Tirullipa, após o humorista vir a público pedir que as pessoas perdoem DJ Ivis, que foi preso esta semana após agredir a ex-mulher, Pamella Holanda. Em seu depoimento, Tico Santa Cruz pediu que o humorista pare de usar o nome de Deus para justificar a maldade de homens agressores de mulheres.

"Fazer videozinhos no Instagram pra pedir perdão pra espancador de mulher... Quem perdoa é Deus, amigo. Esse Deus aí, que esses espancadores e violentadores usam quando são descobertos, não é o mesmo Deus. Parem de usar o nome de Deus pra justificar maldade de vocês, homens. Parem de usar o nome de Deus pra se proteger depois que são descobertos. Deus é amor, não importa sua religião", disse o cantor.

"O Tirullipa veio a público pedir que as pessoas deem o perdão e falando de Deus, Deus, Deus. E o espancador de mulher vem pedir desculpas e fala de Deus, Deus, Deus. Deus é amor, então não faz o menor sentido uma pessoa entrar numa escalada de violência a ponto de agredir a esposa na frente da sogra e da filha bebê. E depois que é descoberto e perde dinheiro, contratos, parcerias, vem falar de Deus. Assim como o outro lá, o comediante vem usar a palavra de Deus e ainda usar como argumento as filhas", continuou.

Santa Cruz ainda ressaltou a importância de combater a violência contra mulheres. "Meu amigo, a luta contra a violência doméstica e violência contra a mulher, não é porque eu tenho filhas, mãe ou avó, é porque historicamente são as mulheres vítimas de violência. Isso que vocês fazem é pra conseguir seguidor e parecer bonzinho, gente boa. Não há mais espaço pra esse tipo de correlação. Estamos falando de correlação de poder", afirmou.

E ainda deu um conselho ao influenciador. "Então, Tirullipa, faz a sua gracinha em outro lugar, amigo. No palco, no picadeiro... Você tem 26 milhões de seguidores. Se você quer mesmo perdoar o cara que fez o que fez, faz o seguinte: começa um trabalho social de conscientização pros seus amigos, pra homens violentos e agressores. Mostra os dados, mostra o número de mulheres agredidas e mortas que não têm uma segunda chance".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários