Estúdio da Record após o desabamento
Reprodução
Estúdio da Record após o desabamento


Em comunicado divulgado nas redes sociais, o Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro informa que esteve vistoriando as instalações da Record Rio, em Vargem Grande - Zona Oeste do Rio, após o desabamento de parte do teto onde ficavam a redação e os estúdios do 'Balanço Geral Rio' e 'Cidade Alerta Rio'. A vistoria era para verificar as condições de trabalho, saúde e segurança dos jornalistas da casa.

Segundo o sindicato informou, os jornalistas da emissora vêm trabalhando fora das condições adequadas para a pandemia de Covid-19. “Com a redação e o estúdio interditados e sem previsão para recuperação, os jornalistas foram alocados em outras duas salas improvisadas e, evidentemente, sem as condições adequadas ao trabalho. O espaço não é grande, o que faz com que a equipe trabalhe com uns próximos aos outros. A transmissão dos telejornais está sendo feita do Estúdio Glass, um espaço mais amplo onde também é feita a transmissão de outros programas”.

A entidade ainda solicitou à Record uma cópia do CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) do editor do 'Jornal da Record', Alex Cunha, que teve ferimentos mais graves por conta do desabamento e precisou passar por uma cirurgia na mão esquerda, no último sábado.

“O diretor do Jurídico, Ricardo, informou que a CAT foi aberta pelo RH de São Paulo, já que o jornalista é contratado da Record SP. Ainda assim, o sindicato manteve a cobrança, lembrando que o acidente ocorreu no Rio”, diz trecho do comunicado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários