Tamanho do texto

"A minha vida estava sem cor", conta a Fernanda Venturini, que se tornou empresária

Há nove anos, Fernanda Venturini deixou as quadras de vôlei depois de 25 anos no esporte. Hoje, ela, que pratica ciclismo e frescobol por hobby, relembra os momentos difíceis logo após a aposentadoria.

Leia também: Com propostas do exterior, Bernardinho diz ser difícil deixar o Brasil

Fernanda Venturini arrow-options
Reprodução/Instagram
Fernanda Venturini


"Quando parei de competir tive depressão. Tomava remédios, mas a tristeza não passava. A minha vida estava sem cor", assume Fernanda Venturini , que ainda admite sentir falta das finais de um campeonato, dos momentos de decisão de uma partida por conta da depressão . "Adorava a pressão de jogar no campo do adversário", disse.

Leia também: Magoado, Bernardinho descarta fazer as pazes com Zé Roberto: "Tudo tem limite"

Aos 50 anos, a ex-atleta é sócia de um restaurante de comida mediterrânea em Ipanema, zona sul do Rio, e é também extremamente cuidadosa com a própria alimentação. "A alimentação é que faz a gente envelhecer. O câncer é a inflamação das células e o que inflama a célula são os carboidratos e os doces. Simples assim", contou.

Em entrevista à revista "Páginas da Gávea", Fernanda entregou ter interferido na candidatura do seu marido Bernardinho à Prefeitura do Rio, em 2018. "Você acha que um pessoa correta pode entrar na política no Brasil atualmente? Interferi colocando o meu ponto de vista, pois o conheço muito bem e sabia que se ele entrasse na política eu iria perdê-lo", declarou a ex-atleta.

Leia também: Tiffany defende Bernardinho de críticas e rebate Ana Paula: "Oportunista"

"Bernardinho ficaria doente quando tivesse que conviver com corruptos e com gente que ele não confiasse. Acredito que ele possa ajudar, mas não estar à frente", encerrou Fernanda Venturini.