Tamanho do texto

Aposta da plataforma de streaming da Globo, festival artístico gratuito em São Paulo e preocupação com o futuro do cinema brasileiro em Bastidores

Manifest arrow-options
Divulgação/Globoplay
Cena de Manifest, que estreia em outubro no Globoplay

Uma das sensações da temporada nos Estados Unidos, “Manifest” estreia no Brasil no próximo dia 4 de outubro. A série chega com exclusividade à plataforma de streaming da Globo, o Globoplay .

Leia também: "Midsommar" propõe olhar antropológico como filtro do terror ocidental

Protagonizada por Melissa Roxburgh e Josh Dallas, “Manifest” gira em torno das relações dos passageiros e da tripulação de um avião comercial que repentinamente reaparece após terem sido dados como mortos por cinco anos. Ao longo de 16 episódios de sua  primeira temporada, o telespectador acompanha a volta à rotina das vítimas e vai descobrindo que o fenômeno pelo qual passaram pode esconder muitos segredos.

Pílulas de cultura

Bianca Hoffmann arrow-options
Isa Hansen
Bianca Hoffmann é uma das artistas que se apresentam nessa edição do Artistas de Rua

A cidade de São Paulo sedia, a partir do próximo sábado (28), um dos eventos mais charmosos de sua intensa agenda cultural. Inteiramente gratuito, o Festival Artistas de Rua se estende até 12 de outubro levando toda forma e expressão de arte a diferentes pontos da cidade.

Beco do Batman, Masp, Terminal Vila Nova Cachoeirinha, Largo São Bento e Mihocão são apenas alguns dos cartões postais da cidade que receberão shows de música e performances circenses. Ao todo serão 31 apresentações em espaços públicos espalhados pela cidade.

Leia também: Rainhas do pop, Lady Gaga e Rihanna investem na indústria cosmética

Preocupação com 2020

O 13º Cine BH – mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte acabou neste domingo (22). Um dos principais momentos do evento foi um debate que contou com a participação do produtor Rodrigo Teixeira , que nesta semana lança a ficção científica “Ad Astra” no Brasil, acerca da crise no audiovisual brasileiro.

Rodrigo Teixeira arrow-options
Leo Lara/Universo Produção
Rodrigo Teixeira e as atrizes do filme "A Vida Invisível", representante brasileiro na disputa pelo Oscar, que é produzido por por ele

Teixeira observou que o desmonte na estrutura produtiva brasileira deve afetar a presença de filmes do país no exterior. Para ele, o resultado da paralisação pela qual passam as políticas públicas do setor em 2019 já será sentido na menor presença brasileira em eventos de cinema no ano que vem. “Não tem tantos filmes em produção nesse momento no Brasil, muitos projetos estavam aguardando um dinheiro que não entrou. Estávamos num período de entressafra e agora eles não estão sendo feitos”.