Tamanho do texto

Exposição sobre a carreira de Tom Zé, Foo Fighters no Brasil, o sucesso de Phil Collins e mais destaques da coluna Bastidores

O artista Tom Zé ganhará uma exposição em homenagem aos seus 80 anos na Caixa Cultural em São Paulo entre 13 de março e 20 de maio. A exposição reúne obras gráficas, digitais e interativas que reavivam a trajetória do baiano, natural de Irará, que se tornou um dos maiores cantores e compositores tropicalistas .

Leia também: Nascidos no mesmo dia, Tom Zé e Lobão são antagonistas na arte e na política

Tom Zé vai ganhar exposição em comemoração aos seus 80 anos de vida em São Paulo
Ulisses Dumas
Tom Zé vai ganhar exposição em comemoração aos seus 80 anos de vida em São Paulo

Músicas, fotos, textos e depoimentos relacionados a Tom Zé serão traduzidos em instalações concebidas especialmente para a exposição. Assim como o homenageado, elas também se valem da multiplicidade de meios e linguagens na concepção artística. Entre as obras, uma linha do tempo detalhada perpassa os anos de vida de Tom Zé. O trabalho gráfico-visual é assinado pelo designer, produtor de mídia interativa e curador da exposição, André Vallias.

Leia também: Tropicália emergiu como voz contra ditadura e ecoa até os dias atuais

Tom Zé ganha exposição sobre sua carreira
André Conti
Tom Zé ganha exposição sobre sua carreira

Fotos de acervo, textos com inclusões em braile e vídeos extraídos de diversos documentários ajudam a contar a história do artista, desde a vida no interior da Bahia, o começo de carreira, a Tropicália, o reconhecimento internacional, os prêmios até homenagens recebidas ao longo dos anos. “O fato dessa exposição começar na Bahia e depois vir a São Paulo é muito significativo para mim, e muito acertado por conta dos dois laços fortes que mantenho. Tenho muitas amizades profundas aqui em São Paulo que espero rever nesse grande encontro que será essa exposição”, comemora Tom Zé.

A discografia completa de Tom Zé, reunindo 28 trabalhos completos, também estará disponível na exposição. “É uma celebração dos 80 anos de Tom Zé, focando bastante em sua obra e em seu pensamento musical. Trabalhamos muito em cima das letras mais emblemáticas dele”, explica Vallias.

A exposição, idealizada pela cantora, produtora cultural e amiga pessoal de Tom Zé, Bete Calligaris, da Eureka Ideias (RJ), traz ainda a contribuição textual do escritor Antônio Risério, além de uma pequena mostra de um acervo pessoal com mais de 10 instrumentos inventados pelo artista, a partir de objetos e materiais inusitados, e utilizados em muitas de suas gravações e shows.

Mais música

Foo Fighters volta ao Brasil para turnê em conjunto com o Queens of the Stone Age
Juanlu Vela
Foo Fighters volta ao Brasil para turnê em conjunto com o Queens of the Stone Age

O Foo Fighters volta ao Brasil na próxima semana para uma série de shows com abertura do Queens of The Stone Age . As duas bandas vão passar por Rio de Janeiro (25/02), São Paulo (27 e 28/02), Curitiba (02/03) e Porto Alegre (04/03). A banda brasileira Ego Kill Talent fará a abertura das quatro datas no País.

Ainda há ingressos disponíveis em todas as cidades. O Foo Fighters trará no setlist músicas no novo trabalho, o disco “Concrete and Gold”, lançado em 2017, além de sucessos da carreira como One by One , Best of You e My Hero . O Queens também traz novo trabalho, o álbum “Villains”.

Dos fios para as passarelas

Rafael Breier
Divulgação
Rafael Breier

Ex-eletricista, o gaúcho Rafael Breier desponta no mercado da moda internacional, com trabalhos para grifes como Ralph Lauren e Dolce & Gabbana. Natural da pequena Rolante – município gaúcho com pouco mais de 20 mil habitantes, Rafael Breier foi eletricista por cinco anos, mas deixou para trás o trabalho com manutenção elétrica para se arriscar nas passarelas internacionais. Em seu currículo tem passagens por Milão, Paris e NY. Por lá, estampou campanhas para importantes grifes como Michael Kors e Ralph Lauren e desfilou para Giorgio Armani, Dsquared2, Paul Smith, Ralph Lauren e Vivienne Westwood.

Sucesso nacional

O ano de 2018 marca o retorno da onda de shows no Brasil, que deu uma leve diminuída em 2017. Mas, logo no primeiro semestre, grandes nomes como Foo Fighters citado acima, Eddie Vedder, Phill Collins , Harry Styles e Katy perry vem ao País. Com isso, os estádios e casas de shows ficam lotados e a briga por ingressos é grande. Mas, de todos esses nomes, o artistas que mais rendeu em terras brasileiras nesse primeiro bimestre foi mesmo Phill Collins. De acordo com a StubHub, plataforma de intercâmbio de ingressos,  o músico foi o que mais vendeu ingressos neste primeiro bimestre do ano no Brasil. O cantor, que se apresenta a partir desta quinta-feira (22) no Brasil, atrai principalmente o público acima dos 45 anos, de acordo com Daniela Marques, gerente de comunicação da StubHub no Brasil: “As novas gerações não foram conquistadas pelo pop do artista, que atrai principalmente um público mais velho. A maior parte dos fãs deve vir acompanhando o trabalho de Collins há pelo menos uma década”.

Leia também: Tom Zé e os dez discos essenciais da Tropicália

    Leia tudo sobre: músicas