Tamanho do texto

Entrevista com diretor do Mix Brasil, leitura dramática de clássico da literatura e novidades do disco de Taylor Swift são destaques dos Bastidores

Depois da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, a capital paulista ganhou, mais uma vez, um festival onde a sétima arte tem destaque. Desta vez, entretanto, a celebração da diversidade é o combustível que move esse grande festival que entra em sua 25ª edição em São Paulo. O Mix Brasil de Cultura da Diversidade, que teve a sua abertura na última quarta-feira (15) traz 159 filmes de 34 países diferentes em um evento que perdura até o dia 26 de novembro. O diretor do festival, João Federici contou um pouco ao iG Gente sobre o processo de realização desse evento que já faz parte do calendário da cidade há alguns anos.

Divulgação
"Me Chame Pelo Seu Nome" é o filme inédito que abriu o Mix Brasil este ano

Leia também: Arte traduz anseios da sexualidade reprimida e explora questões sociais

“A busca é sempre pelo novo, por uma discussão atual, tentando trazer algo que seja uma universal que possa falar não só para o nosso publico, mas que fale para um publico mundial”, afirmou o diretor do Mix Brasil . “Nossos filmes partem daqui para vários festivais em outros países falando sempre de respeito, de direitos e de relacionamento”, completou. A escolha para que “Me Chame Pelo Seu Nome” tivesse estreia inédita no Brasil durante o festival, por sua vez, não foi por acaso. O longa de Luca Guadagnino, além de um forte candidato ao Oscar 2018, também traz uma mensagem muito importante. “Ele representa tudo o que eu penso de uma família, de como criar filhos de uma maneira que ele possa ser um cidadão pleno, plural, que conheça esse mundo que existe”, comenta. “É um filme que retrata uma família que resinifica os valores tradicionais de amor e respeito”, completa.

Leia também: As dez obras de arte mais polêmicas de todos os tempos

A obra, entretanto, não é a única que tem grandes chances de concorrer ao Oscar que está na programação do festival. Outros fortes candidatos também fazem parte da curadoria do evento, como “Conversa Fiada” (Taiwan) de Hui-chen Huang, “Thelma” (Noruega) de Joachim Trier, “Tom of Finland” (Finlândia) de Dome Karukoski e os “Os Iniciados” (África do Sul) de John Trengove. Apesar desses grandes títulos estarem no leque de filmes da programação, Federici não hesita em afimar que a progração está repleta de filmes notórios: “God’s Own Country”, “Discreet”, “Corpo Elétrico”, “A Glória e a Graça” e “Aos Teus Olhos” são alguns dos longas que o diretor destaca.

Momentos marcantes

A abertura, que aconteceu na última quarta-feira (15) também foi um dos destaques para os fãs de cinema, pois datou a primeira vez que o diretor de cinema Guz Van Sant visitou o país. “O Gus é uma pessoa é um cineasta diferente de muitos, ele trabalha com a questão LGBT de uma maneira importante há muitos anos, ele tem uma trajetória muito importante dentro do cinema LGBTQ e eu até chamaria ele de um pioneiro porque ele fala de pessoas que não são normalmente o que o cinema mainstream fala da classe media pra cima - ele fala mais pro lado marginal”, revela Federici. O desejo de trazer o diretor para o Brasil, entretanto, já era antigo, mas demorou três anos para que finalmente as agendas batessem. “Encontro ele em outros festivais então sempre volta esse desejo dele de vir ao Brasil porque ele é um dos nossos ídolos, um dos diretores que pra mim é muito importante desde o inicio”, completa.

A vinda do diretor não poderia acontecer em melhor época. Com o festival Mix Brasil consolidado na capital paulista, Federici comemora: “O evento já faz parte do calendário oficial da cidade e isso é bem bacana. É um resultado de muita resistência, muita garra, muito trabalho, para poder chegar nesses 25 anos e com muitas parcerias e colaborações”, comenta. “Eu gostaria muito que várias outras instituições pudessem investir em outras formas de fazedores de arte que tenham por aí para que possamos continuar com o nosso trabalho, principalmente em um ano que vemos tantos ataques à arte nacional sendo que nós temos que, na realidade elevá-la para um nível de discussão importante, para que a as pessoas que não tenham conhecimento saiam da ignorância”, finaliza. 

Homenagem clássica

Um dos clássicos da literatura brasileira ganhará uma leitura especial com os consagrados artistas Lima Duarte, Ligia Cortez, Taumaturgo Ferreira, Rodrigo Pandolfo, Felipe Carolis e Bianca Rinaldi que farão a leitura de alguns trechos da icônica obra. O evento marca a homenagem da morte de 50 anos do autor, Guimarães Rosa e acontecerá na Livraria da Vila no Jardins em parceria com a Divina Comédia Produções Artísticas, promove, neste domingo, dia 19 das 11h às 20h, com primeira leitura marcada para às 11h15 e última para às 19h45.

Para colecionadores

Reprodução/Twitter
"Reputation" chegará em breve nas lojas físicas

O novo álbum de Taylor Swift, “Reputation”, deu o que falar antes mesmo do seu lançamento oficial. Na íntegra somente na última sexta-feira (10), o seu trabalho agora chegará nas lojas físicas no fim do mês, no dia 24 de novembro. A versão brasileira terá as mesmas configurações da norte-americana e cada CD terá uma embalagem especial com um superpôster colecionável, tendo cinco opções de imagens diferentes.  

Leia também: “Me Chame Pelo Seu Nome” abre a 25ª edição do Festival Mix Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas