Ilustradora Rafaella Tuma viralizou nas redes sociais
Reprodução/Instagram
Ilustradora Rafaella Tuma viralizou nas redes sociais


Rafaella Tuma se destacou nas redes sociais não apenas pelo nome ou imagem, mas principalmente por iniciar uma tendência de ilustrar áudios com animações simples e cativantes. Acumulando quase 2 milhões de seguidores no Instagram, a ilustradora de Ribeirão Preto (SP) apostou em um formato inédito para os vídeos curtos e viralizou paralelamente no TikTok, com conteúdos como o do famoso “Cordeirinho”, que acumula mais de 36 milhões de visualizações nas duas mídias.

Em entrevista exclusiva ao iG Gente, Rafaella comenta a importância da interação que criou com o público e disse receber muitos áudios com pedidos até inusitados dos seguidores. “Eu recebo muitas mensagens, muitas por dia, sobre áudios. E eu adoro receber, tipo tem horas do meu dia que eu tenho que parar e ficar uma hora só vendo ali e falo: ‘Agora eu vou abrir cinquenta pelo menos, para eu conseguir ver alguma coisa’ [...] É muito legal essa troca com os seguidores, porque super ajuda. É a única parte que é realmente interativa do trabalho, sendo a hora da escolha do conteúdo”, aponta.


“Tem várias pessoas que me mandam [áudios] originais, áudios de filho, áudios de criança. É até engraçado que, quando pego o iPad que eu estou desenhando, toda hora aparece o e-mail falando: ‘Áudio da minha filha que engasgou com a moeda’ ou ‘Áudio do meu filho que enganou o meu sogro’. Toda hora desce uma mensagem. De criança é o que eu mais recebo”, explica.

+ Entre no  canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

O vídeo em que Tuma ilustrou o famoso áudio de uma criança pedindo café é um exemplo do resultado que o engajamento gera no conteúdo, já que o vídeo já apresenta cerca de 15 milhões de visualizações entre o Instagram e o TikTok. “Vejo que alguns [áudios] têm muito em comum [entre os pedidos], do tipo todo mundo passando o mesmo vídeo para mim, aí eu noto o que está chamando atenção e pego para fazer. Penso que o do ‘café’ foi isso. Mesmo sendo uma coisa antiga todo mundo me marcou lá e eu fiz. Tem um monte [de vídeos] que são 'fanservice', tipo, estou servindo os seguidores”, diz.


A ilustradora entrega detalhes do processo de criação nos bastidores, afirmando que demora entre quatro a oito horas para finalizar o conteúdo completo. Entre os vídeos mais desafiadores que Tuma fez até o momento, ela cita um áudio de uma batalha de rap, em que precisou usar dois softwares para finalizar toda ilustração e animação. “No geral, eles são muito parecidos, o que muda é o tempo. Então os [vídeos] de cinquenta segundos demoram o dobro realmente das de vinte e cinco segundos”, aponta.


“Para a internet, acho que ainda é uma produção de conteúdo que demora, porque tem que se organizar muito. Porém, para uma produção de conteúdo de animação, é muito rápida”, destaca Rafaella, formada em Design Gráfico. Pela experiência prévia na área, ela acredita que o fluxo não mudou tanto com o trabalho nas redes sociais.

“Antes de trabalhar com isso, eu já trabalhava com animação e o meu workflow não mudou tanto, meio que continuou a mesma coisa. Eu recebo o briefing, às vezes de publi, às vezes o áudio que eu escolho, o orgânico. Leio, escuto e desbravo ele, pensando no que vou fazer. Aí faço a legenda, o esquete e mando para o cliente. Quando é orgânico, mando paro meu marido, que trabalha comigo também, ou mostro para alguém que gosto para ver se está legal [...] Já tive estúdio de animação, já trabalhei com animação e é a mesma coisa. As mesmas etapas”, detalha o processo.


Tuma se dedicava ao Instagram paralelamente a outros trabalhos, desde atuando como freelancer na área da arte digital até como dona do próprio estúdio de animação e ilustração. A ilustradora relata que começou a se dedicar mais aos vídeos no início de 2022 e encontrou no conteúdo uma possibilidade de trabalhar com entretenimento.

“Queria trabalhar com uma coisa nova. Aí quando eu fiz isso eu falei: ‘Nossa, é entretenimento, não acredito que eu consegui, enfim, trabalhar com entretenimento’. Sempre quis, mas nunca achei uma janela. Porque eu achava super legal as pessoas que conseguem fazer esquete, dublagem no TikTok com caras e bocas e personagens. Mas eu não me sinto confortável de me filmar assim. De vez em quando eu até tentava, mas não ficava legal. Eu queria uma opção também de fazer as dublagens e aí essa opção foi a que eu encontrei”, analisa.


Apesar de afirmar que não conhecia outro produtor de conteúdo com vídeos no mesmo estilo, ela defende que “já pensava que o desenho ia dominar também as redes sociais”. “Eu não sabia como. Só que se a gente estudar um pouquinho mais as tendências do audiovisual, assim como na moda, as coisas são cíclicas, igual a passarela é para moda, os festivais de animação são para o mundo do audiovisual também. Então você começa a ver, por exemplo, ‘O Menino e o Mundo’ concorrendo a Oscar há uns anos, concorrendo ao curta-metragem de animação, sendo que ‘O Menino e o Mundo’ é super simplório também, é bonequinho de palito, tem um visual mais grotesco [...] A tendência de uma coisa minimalista, desenhos a mão, já estava para acontecer”, reflete.

A ilustradora ainda conta que teve “muitos altos e baixos” após viralizar, ficando “muito eufórica” e “muito preocupada” ao mesmo tempo. No entanto, ela enxerga de forma positiva a tendência que criou com as ilustrações nas redes. “Agora eu acho que tem um monte, tem um montão [de vídeos no mesmo estilo]. E ainda bem, porque tem espaço para todo mundo. Porque eu acredito que é um novo estilo de comunicação”, diz.

Por trás do projeto social “O Mundo de Dandara”, Rafaella Tuma também celebra a possibilidade de trazer um “minutinho de alívio” para os seguidores: “Não só as redes sociais, mas a nossa vida é pesada [...] A minha vida é pesada também, trabalho para uma comunidade carente, tenho um trabalho social muito intenso. Minha mãe cuida de uma favela inteira, a gente cuida de 70 crianças. E assim, é uma miséria e uma tristeza que não tem tamanho. É uma outra realidade, um outro mundo [...] Mas em alguns lugares, em alguns filmes, séries ou vídeos, a gente precisa de um pouquinho de respiro, daquela hora que você fala tipo: ‘Não quero pensar em nada, eu quero leve, eu não quero nem me revoltar com nada’”.

Tuma ainda cita a página especial do projeto para divulgar as ações que comanda no “O Mundo de Dandara”:


+ Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários