Emily Ratajkowski acusa cantor de assédio
Reprodução/Instagram
Emily Ratajkowski acusa cantor de assédio


A supermodelo britânica Emily Ratajkowski acusou o cantor Robin Thicke de abuso sexual durante as gravações do clipe "Blurred Lines", que aconteceram em 2013. A revelação foi feita no livro "My body" ("Meu corpo", em tradução livre) que a modelo, de 30 anos, publica neste mês no Reino Unido. A "BBC" pediu comentários do cantor, mas não obteve resposta.

Segundo Emily, Thicke apalpou seus seios sem o consentimento. "(Ele) voltou ao set um pouco bêbado para filmar só comigo. Do nada, senti a frieza e a estranheza das mãos de um estranho envolvendo meus seios nus por trás. Eu instintivamente me afastei, olhando para Robin Thicke", ela escreveu.


Leia Também

A diretora do clipe, Diane Martel, falou ao jornal "Sunday Times" que lembra do episódio. "Lembro-me do momento em que ele agarrou seus seios. Ele estava de pé atrás dela", disse Martel.

Segundo a diretora, o cantor pediu desculpas depois.

Blurred lines

A música, na época do lançamento, foi um sucesso ao redor do mundo e se torno a mais baixada da história do Reino Unido em 2014 até aquela data. No entanto, a letra e o clipe foram criticados por terem uma conotação relacionada a sexo sem consentimento. O cantor Pharrel Williams, que participa da canção, falou, tempos depois, que ficou "envergonhado" com o conteúdo.

Thicke, no entanto, sempre defendeu a música. Em 2013, falou à "BBC" que os críticos não haviam "entendido" a letra.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários