Funk vira febre nas Olimpíadas
Reprodução
Funk vira febre nas Olimpíadas


De uma hora para a outra, como tudo o que viraliza nas redes sociais, o funk "Chamo teu vulgo malvadão" se tornou um hit. Primeiro no TikTok e agora na Vila Olímpica de Tóquio.

Atletas brasileiros, principalmente do atletismo, adotaram a música como um "mantra" de concentração antes das provas. E depois delas, como uma forma de comemorar. Quem está por trás do novo fenômeno é MC Jhenny, de 19 anos, nascida e criada em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. "A gente nunca espera que uma música vá estourar tão rápido. Estou surpresa e muito feliz", diz a cantora, que só está há dois anos no mercado.


Jhenny nem imaginava que um dia viraria cantora. Ao acompanhar uma amiga num estúdio na Baixada Fluminense, entrou, por acaso, para esse universo. "Ela ia cantar com um DJ, aí na hora ele pediu que eu cantasse também e daí foi", relembra.

Quando assistiu ao vídeo em que Neymar e Lucas Paquetá dançavam a coreografia em plena Copa América, ela levou até um susto. "Como assim?! Eu não tinha a menor ideia que eles conheciam", questiona.

Agora foi Alison dos Santos, velocista que é promessa de medalha de ouro na Olimpíada de Tóquio, que lançou nova luz para a letra. O atleta diz que ouviu o funk antes de se classificar para a final da competição. Numa entrevista, ele até dançou e disse que a música não saía da cabeça.

A nova funkeira não está acompanhando os jogos com tanta atenção, mas diz que na época de escola até era boa em Educação Física, mas nunca pensou em seguir carreira num esporte.

Com outras músicas na manga (ela ajudou a compor "Chamo teu vulgo malvadão"), MC Jhenny diz que hoje vive só do funk, e se inspira em Anitta para seguir com a carreira. Aos atletas brasileiros que estão curtindo a música, ela deseja a mesma sorte que está tendo. "Que o funk ajude a trazer muito ouro para o Brasil, que seja tão brabo quanto o malvadão".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários