Paulo Gustavo queria viver Ricardo Correa, o Fofão da Augusta, no cinema; seria seu primeiro filme de drama
Reprodução
Paulo Gustavo queria viver Ricardo Correa, o Fofão da Augusta, no cinema; seria seu primeiro filme de drama





O ator e comediante Paulo Gustavo, moro em decorrência da Covid-19 , estava cotado para viver Ricardo Correa da Silva, mais conhecido como Fofão da Augusta, em um filme de drama. O longa seria adaptação do livro “Ricardo & Vânia”, escrito pelo jornalista e escritor Chico Felitti.


Você viu?

Seria a primeira vez que o ator estrelaria um filme de drama. Felitti conta em seu podcast “Isso Está Acontecendo” que o próprio Paulo expressou o desejo de viver a história de Ricardo Correa na grande tela. No episódio, ele conta como ficou sabendo sobre o desejo do ator de viver o papel.


“No finalzinho de 2019, meu telefone tocou. E do outro lado da linha vinha uma notícia: ‘A gente talvez já tenha um protagonista para Ricardo & Vânia’. A pergunta que fizeram no telefone era: ‘O que você acha do Paulo Gustavo ser o Ricardo?’. E eu gelei”, conta Felitti sobre como foi receber a notícia.

“Ele queria interpretar o Ricardo no cinema, tinha lido o livro e queria ser o personagem principal de um filme que não era uma comédia. Que era o oposto de uma comédia. Eu soube naquela ligação que, numa reunião, ele disse que já fazia o país inteiro rir, agora queria mostrar que era capaz de fazer um país inteiro chorar”, continua.

“E o gelo foi se desfazendo dentro de mim e virando uma corrente quente de adrenalina, de ânimo. Se aquele homem, que tinha chegado ao posto de maior humorista no Brasil, queria fazer um filme, ele tinha que fazer o filme”, diz.

Ricardo Correa era conhecido na noite paulistana como Fofão da Augusta por conta do silicone injetado em seu rosto. Ele vivia em situação de rua e passava por questões psiquiátricas quando foi encontrado por Felitti, que escreveu uma reportagem que viralizou e, posteriormente, o livro sobre sua vida.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários