Barbara Gancia, ex-apresentadora da GNT
Reprodução Globo
Barbara Gancia, ex-apresentadora da GNT

Barbara Gancia, ex-apresentadora do "Saia Justa", foi acusada de racismo e homofobia após criticar uma manifestação pró-Bolsonaro na noite de sábado (12). "Hoje é Dia dos Namorados e esse monte de macaco prefere sair para dar um rolê de moto com o Bozo, muitos na garupa de macho, do que ficar com a esposa ou namorada? Enrustidos", disparou ela, referindo-se de maneira pejorativa aos apoiadores do presidente (sem partido) e colocando a homossexualidade em posição inferiorizada.

O deputado federal Helio Lopes (PSL-RJ) foi uma das pessoas que frisou a homofobia e o racismo na publicada de Barbara. "A legenda é com vocês", escreveu ele no Twitter.

Pouco tempo de pois, a ex-apresentadora rebateu o deputado. "Deixa de ser cínico, Excelência! Cínico e cheio de vigarice. Vocês não têm limite! Mas o povo está vendo. Acabarão todos na Papuda ou no Tribunal de Haia. Mentira tem perna curta, você pode mentir para muita gente por algum tempo, mas não dá para mentir para todo mundo o tempo todo", afirmou.

Questionada por um seguidora sobre o cuidado com as palavras, Barbara compartilhou uma publicação de Alexandre Frota e acrescentou. "12 mil bovinos supremacistas, 12 mil macacos enrustidos, 12 mil bocós negacionistas, 12 mil rinocerontes terraplanistas ou 12 mil acéfalos cloroquinistas? Seja o q for, eram só 12 mil, liderados por um mentiroso contumaz que só pensa nele e que, ao que tudo indica, planeja um golpe".




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários