Uma rede social em que é possível postar fotos e vídeos eróticos sem censura (e ainda faturar com isso) está se popularizando no Brasil. Criada no Reino Unido, a plataforma OnlyFans tem feito muitas pessoas ganharem popularidade e dinheiro. Isso porque, para ter acesso ao conteúdo postado pelo criador da conta, o usuário precisa pagar uma taxa. O iG Gente conversou com as brasileiras que estão fazendo sucesso nessa rede social e elas contaram como tudo funciona, quanto ganham e quais são os pedidos mais ousados que já receberam.  

Onlyfans
Instagram
Suzy Cortez, Iarinha Ferreira e Raissa Barbosa


Suzy Cortez: uma das pioneiras

A modelo Suzy Cortez, de 30 anos, soma mais de 2,2 milhões de seguidores no Instagram, foi vencedora do Miss Bumbum 2019, já estampou diversas revistas masculinas e ficou muito conhecida pela torcida do Barcelona por ser muito fã do jogador Lionel Messi. “Fiz uma tatuagem com o rosto dele perto da virilha e não me arrependo”, contou a musa que aproveitou toda essa popularidade para se tornar uma sensação no OnlyFans.

Suzy Cortez
Suzy
Suzy Cortez

“Eu morava em Londres quando conheci a plataforma. Na época, eu trabalhava no The Sun [o tabloide britânico], tinha uma coluna na editoria de Esportes, e o pessoal de lá que falou para abrir uma conta”, comenta a pioneira que atualmente mora no Brasil. “Lá fora as pessoas têm uma visão muito diferente da nudez, aqui no Brasil há muito preconceito. Além disso, meu pai é pastor e não sabe que tiro fotos nua, então eu bloqueei o acesso de brasileiros no meu OnlyFans. Meus seguidores são da Europa, Ásia e Estados Unidos.”

Suzy chegou a ser convidada para ir ao escritório do OnlyFans, em Londres, para uma festa que reuniu as 20 influencers mais populares da plataforma. A brasileira, na verdade, oscila entre a primeira e a segunda posição entre as mais seguidas do mundo – com 243 mil seguidores. “Cobro tudo em euro. Todas as minhas fotos são de nu explícito, faço sete ensaios por mês, mas eles gostam de uma coisa mais caseira também”, contou a musa que fatura mais de R$ 1 milhão por mês. 

Iarinha Ferreira: vende nudes e atenção 

A novata Iarinha Ferreira, de 25 anos, conseguiu em menos de três meses virar uma sensação nessa rede social. “Sempre gostei de mostrar o corpo. Nessa pandemia eu pensei em uma forma de ganhar dinheiro e, mesmo com um pouco de medo da sociedade, entrei de cabeça no OnlyFans. Hoje, estou me sentindo realizada profissionalmente”, declarou.

A aproveitando a popularidade que está conquistando, a musa não para de ganhar seguidores. “No meu primeiro mês, eu consegui tirar um pouco mais de R$ 30 mil. Já esse mês, eu consegui ultrapassar R$ 40 mil. Esses valores são altos já que sou nova nessa área. Consegui transformar esse momento difícil [da pandemia] em um momento maravilhoso da minha vida. Acredito que a tendência é só aumentar e logo estarei faturando mais de R$ 100 mil por mês.”

Iarinha também contou que recebe muitos pedidos ousados. “Eles querem calcinha usada ou assinada, roupa que usei na academia, frasquinho do perfume que eu uso, meus brinquedinhos eróticos. Boa parte dessas fantasias eu já realizei, mas tudo tem um preço, claro”, disse aos risos.

Raissa Barbosa: realiza fetiches e fantasias

A modelo Raissa Barbosa, de 29 anos, viu no OnlyFans uma oportunidade de ganhar dinheiro e, ao entrar na plataforma, entendeu logo o que seu público queria. “Meus fãs gostam de conteúdos mais caseiros, tanto fotos quanto vídeos, já tentei fazer algo muito produzido, mas eles não curtem muito”, declarou a musa que documenta todo o seu dia para os fãs. “Eu acordo, escovo meus dentes, me maquio e começo a produzir, do meu café da manhã a eu arrumando a casa. Meu dia a dia é para o meu OnlyFans”.

Os pedidos que ela recebe são diversos, mas tem um fetiche que se destaca. “O que eu mais costumo receber são pedidos relacionados ao meu pé. Eu descobri que muitos homens têm fetiche, então pedem muito para eu mostrar – principalmente a sola. Um pedido comum é que fique na posição de quatro com os pés bem a mostra.”

A musa vê muitas vantagens nessa rede social em tempos de isolamento social. “Consigo otimizar o meu tempo já que produzo dentro de casa, trabalho minha criatividade para gerar os conteúdos e tenho contato direto com o meu público alvo. É uma sensação boa saber que meus fãs querem me acompanhar em todas as redes sociais, porque OnlyFans também é uma rede social, mas a diferença que é lá podemos mostrar o que não mostramos nas outras.”  

    Veja Também

      Mostrar mais