A influenciadora digital Geisy Arruda criticou a decisão do presidente Jair Bolsonaro de incluir academias e serviços de estética entre as atividades essenciais e contou que foi atacada por apoiadores do governo. 

Leia também: Geisy Arruda detona Bolsonaro: "Estamos fudid**"

Geisy Arruda
Reprodução/Instagram
Geisy Arruda critica Bolsonaro nas redes socais


Leia também: Geisy Arruda critica quem faz festas na quarentena: "Comemorando o quê?"

Ela compartilhou uma notícia com a fala de Bolsonaro "Saúde não é vida? Por que as academias estão fechadas?" e decidiu responder ao presidente. "Porque lá tem aglomeração, suor, compartilham aparelhos, bebedouro, vestuários, e o contágio do Corona seria super rápido", escreveu Geisy no Twitter. "Tô começando achar que esse homem quer matar o povo mesmo. Tipo, que fique só os que tem 'sorte' na vida", continuou. 

A beldade falou que ela adoraria poder voltar a malhar, ainda mais que seu trabalho como influencer depende do corpo e da beleza. A musa já engordou três quilos durante a quarentena, mas explicou que não voltará aos treinos por medo de contrair Covid-19 . "Não vou pra academia agora, porque eu não sou jumenta".

Leia também: Geisy Arruda surge com decote para divulgar livro erótico

Após criticar o governo, a influenciadora digital revelou que foi atacada por apoiadores do governo . "Agora eles me mandam mostrar a bunda como forma de me ofender e diminuir. Como se eu fosse mulher que se cala a boca diante de um bolsominion!", rebateu.

Ela falou que antes não comentava  política e votava nulo, mas agora sente a obrigação de opinar e se manifestar. Mesmo com alguns seguidores não gostando desse posicionamento, Geisy deixou claro que não está incomodada com os ataques . "É oficial: Estou sendo atacada pelos gados. Agora não tem mais rola no direct, só ofensas", disse mostrando as mensagens que recebe.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários