A cantora Duffy compartilhou detalhes aterrorizantes do sequestro de que foi vítima, após ser drogada em um restaurante para depois ser estuprada e mantida em cativeiro. Em uma conta escrita em um site chamado duffywords.com, a cantora falou sobre sua experiência, o que a levou a desaparecer dos holofotes depois de lançar seu segundo disco em 2010.

Leia também: "Fui estuprada, drogada e sequestrada”, diz cantora sobre afastamento da mídia

Duffy arrow-options
Reprodução Instagram
Duffy


"Me incomoda que essa história contenha tristeza, quando tantas pessoas precisam do oposto disso no momento", começa o relato. "Só espero que minhas palavras sirvam como uma distração momentânea ou talvez até algum conforto que alguém possa sair da escuridão."

Ela disse que sua provação começou depois que ela foi drogada em um restaurante em seu aniversário. Em seguida, ela foi levada para um país estrangeiro. "Não me lembro de entrar no avião e a minha consciência voltou quando estava na traseira de um veículo em movimento. Fui colocada em um quarto de hotel e o criminoso voltou e me estuprou", contou.

Leia também: "BBB 20": Prior é acusado de estupro e uma de tentativa de estupro, diz revista

Duffy acrescentou: "Fiquei presa com ele por mais um dia, ele não olhou para mim, eu deveria andar atrás dele, estava um pouco consciente e retraída. Pensei em fugir para a cidade vizinha, enquanto ele dormia, mas não tinha dinheiro."

A cantora disse que "sabia" que sua vida estava em "perigo imediato" depois de voltar para casa no Reino Unido porque o agressor deu a entender que a mataria. "Não parecia seguro ir à polícia", continuou ela. “Senti que, se algo desse errado, eu estaria morta e ele me mataria. Não podia correr o risco do caso não ser tratado seriamente ou de ser notícia enquanto corria perigo."

Duffy também revelou que foi drogada em sua própria casa, mas não sabe se foi estuprada lá. Ela disse que estava revelando detalhes pela primeira vez porque está "cansada de se esconder" e de "permitir que o estupro se torne uma companhia". A cantora contou ainda que sua saúde mental foi seriamente afetada pelo crime e que alguém ameaçou "divulgar" sua história, o que a forçou a contar à polícia. "Eu não via alguém, uma alma física, por semanas e semanas e semanas, ficando sozinha", disse ela.

Leia também: Globo desiste de exibir reportagem com Prior após polêmica de estupro

“Eu tirava meu pijama, jogava no fogo e colocava outro conjunto. Meu cabelo ficava tão emaranhado por não escová-lo, enquanto eu sofria, que eu cortei tudo. Pensei que a divulgação pública da minha história destruiria totalmente minha vida emocionalmente, enquanto ocultar minha história estava destruindo minha vida muito mais."

No post, cujo link ela postou em sua conta do Instagram, ela escreveu: “Eu só tenho que ser forte, divulgá-lo e enfrentar todos os meus medos de frente. Agora posso deixar esta década para trás. Onde o passado pertence. Espero que não ver mais perguntas sobre 'o que aconteceu com Duffy '. Agora você sabe ... e eu estou livre."

    Veja Também

      Mostrar mais