Tamanho do texto

Kelly Key era uma das apresentadoras do "Samba, Pagode e Cia." exibido pela Globo em 1999. O programa, porém, não chegou a durar nem um ano

A cantora Kelly Key, de 36 anos, voltou para os palcos em 2019, mas sua carreira artística começou nos anos 90. Em entrevista à revista Quem , ela falou sobre os altos e baixos da sua jornada e desabafou sobre o fim do programa "Samba, Pagode e Cia.", da Rede Globo .

Leia também: Kelly Key exibe bumbum em foto no Instagram e deixa seguidores babando

kelly key revela ter chorado quando atração global acabou arrow-options
Reprodução/Instagram/@oficialkellykey
Kelly Key afirma ter chorado com o fim do programa "Samba, Pagode e Cia.", da Rede Globo

A atração global foi ao ar em 1999 e marcou o início de Kelly Key no meio artístico. "Comecei lá como bailarina, depois passei a apresentar", diz a cantora. Ela dividia o comando com Salgadinho e Netinho de Paula.

A autora de hits como Baba e Cachorrinho afirmou que o " Samba, Pagode e Cia. " Foi importante para que ela seguisse a carreira na área. "Ali, tive a certeza de que queria esse meio para a minha vida", pontua.

Leia também: Latino surpreende e se declara para Kelly Key em programa

Ela ainda desabafou sobre o fato de a atração da Rede Globo durar pouco. "Ninguém lembra. O programa durou quase um ano. Chorei tanto quando acabou", complementa.

Por falar em choro, na entrevista, a artista destacou que sua vida "não foi sempre incrível" e que costumava derramar muitas lágrimas. "Já chorei muito, mas não vale a pena. Aprendi que o que vale é extrair o que há de positivo nas dificuldades. Estou feliz com o meu trabalho na música e vou me dedicar a ele enquanto estiver me encantando", enfatiza a cantora, que precisou se preparar para lidar com todos os tipos de pessoas.

Leia também: Crescida! Filha de Kelly Key surge sensual e web dispara: "Mulherão"

"Nem sempre a internet é amigável, valoriza... Mas tenho um bom retorno do meu público. Sei que gostam de ver minha rotina fitness, meu lado maternal, humano. Claro que existem pessoas que nem têm educação. Mas aí eu pergunto: será que vale a pena se chatear por isso?", questiona Kelly Key .