Tamanho do texto

Jovem perdeu o irmão e os pais, que foram assassinados aos tiros por Paulo Cupertino, pai da namorada de Rafael, Isabela Tibcherani, em sua casa; veja

Camila Miguel, irmã de Rafael Miguel, assassinado com pais em junho , usou as redes sociais para desabafar sobre a tragédia em que a jovem perdeu, além do irmão, os pais. Os três foram assassinados aos tiros por Paulo Cupertino, pai da namorada de Rafael, Isabela Tibcherani.

Camila Miguel, Rafael Miguel arrow-options
Reprodução/Facebook/Isabela Tibcherani
Camila Miguel, Rafael Miguel e os pais


"Vira e mexe sinto vontade de vir aqui falar, noutras ligo a câmera e desligo. Tinha um bloqueio, né. É uma coisa que sempre gostei de fazer, gosto de falar muito", começou Camila Miguel . "Hoje senti vontade de uma vez de falar, estou me sentindo de uma forma diferente. Não vou fingir que nada aconteceu e falar com as pessoas, porque recebi muito amor e muita força de mta gente, gente que orou por nós, pediu coisas boas por nós e tentou tomar de alguma forma a dor, de uma forma muito empática", completou.

A irmã de Rafael Migue l disse que seus sentimentos estão mudando, mas que isso não significa que ela tenha superado a tragédia . "Escolhi momento de resguardo e pra continuar, que faz sentido pra mim, preciso voltar a viver e, trazer normalidade pros meus dias".

Leia também: Namorada de Rafael Miguel diz que cunhada não quer saber dela: "Respeito"

"Queria agradecer tudo isso que a gente recebeu. Obviamente, falando de internet, tem uma ou outra pessoa dizendo coisas desnecessárias. Mas sou muito grata. De alguma forma esse pensamento positivo é uma passagem mais tranquila depois de tudo que aconteceu", disse.

Ainda no desabafo, a jovem disse que, aos poucos, vem tentando voltar a normalidade. "A gente vai voltando a viver, trazer um novo sentido pra vida, uma normalidade pra nossa nova realidade que, obviamente mudou totalmente, virou de cabeça pra baixo. E a gente tem tentado entrar nos eixos".

"Como tenho começado a me sentir um pouco melhor, tem sido um pouco diferente, o luto vai mudando, me senti um pouco melhor pra falar isso. Obrigada, obrigada, obrigada. E estamos indo em frente. A gente escolheu seguir em frente e, aos poucos, tenho sentido orgulho e sei que eles sentem de alguma forma", disse.

Leia também: Rafael Miguel e seus pais foram atingidos por 13 tiros, aponta laudo

No seu desabafo, Camila Miguel relembrou dos dias após a morte dos pais e do irmão. "O que eu mais falava, é que eu não ia conseguir. Lembro nitidamente, de poucas coisas que lembro, eu lembro de falar: 'eu não vou conseguir'. E estou conseguindo, né. É isso. Passagem rápida pra dizer isso, que sempre ficou entalado. Eu não conseguia falar e me livrei deste bloqueio. Estamos seguindo, vamos seguir", finalizou.