Tamanho do texto

Em entrevista exclusiva ao iG Gente, Luize conta seus primeiros passos nos concursos de beleza, fala de sua carreira de modelo e na televisão, de preconceito vivido e paixão pelo esporte desde seus primeiros passos

É difícil ser bem-sucedido quando se escolhe vários caminhos para seguir dentro da carreira e da vida pessoal. Esse, com certeza, não é o caso de Luize Altenhofen, que desde os 16 anos é modelo, participa de concursos de beleza e, mais tarde, tornou-se apresentadora esportiva e de entretenimento. Ela ainda arriscou-se com pequenas participações em novelas e até mesmo no esporte. Tudo isso tendo uma família para cuidar, além de manter-se sempre linda e saudável.

Leia também: Luize Altenhofen exibe corpão em clique sensual na praia

Luiza Altenhofen é modelo, apresentadora e vem se arriscando como atriz
Reprodução/Instagram
Luiza Altenhofen é modelo, apresentadora e vem se arriscando como atriz


Pelo tom de voz, clareza e tranquilidade com que Luiza Altenhofen fala sobre cada fase e cada segmento de sua vida em entrevista ao iG Gente , não parece ser tão  difícil assim ter sucesso em cada lugar que passa. "Graças a Deus eu fui muito bem instruída", explica ela.

Leia também:  Luize Altenhofen mostra corpão em maiô transparente e cavado

O início da carreira
Reprodução/Youtube
O início da carreira

Luize sabe muito bem que teve sucesso por onde passou e sabe perfeitamente reconhecer onde ele começou: em 1999, a modelo participou do clipe de Zóio de Lula , uma das músicas  mais buscadas do "Charlie Brown Jr." em plataformas de streaming. A canção é um grande sucesso da banda, lembrada até hoje, mas também foi um enorme passo na vida profissional da modelo, que viu sua carreira alavancar depois disso. Na época, ela tinha 20 anos e mostrou as curvas que já estava acostumada a exibir por participar de concursos de beleza desde os 16 anos.

Dois anos antes, Luize tinha sido eleita Miss Brasil depois de vencer o Miss Rio Grande do Sul, o que, segundo ela, até deu uma ajudinha em sua carreira artística, mas não foi primordial. "O que mais funcionou na minha carreira foi a publicidade. Fiz uma propaganda para uma marca grande de cerveja e, depois, o clipe do Charlie Brown em Maresias", conta ela. Foi assim que a modelo conseguiu sair na revista Trip quatro vezes, além de conseguir mais campanhas publicitárias. "Foi aí que a minha carreira engrenou", garante.

E engrenou mesmo. Tanto, que mesmo com a vaga garantida para o Miss Internacional, que naquele ano aconteceu no Japão, Luize não pôde viajar por conta de uma pneumonia grave, o que também não mudou muita coisa para ela. "Foi triste, um concurso internacional,  seria no Japão, mas eu teria que ficar morando um ano lá, então não sofro com isso, porque eu me recuperei e dei continuidade a minha carreira aqui no Brasil mesmo", comenta ela.


Amor e ódio

Mesmo com o total apoio da família - Luize foi emancipada aos 16 anos para poder trabalhar -, os problemas da carreira de modelo começaram a aparecer e, como já é de se imaginar, ela conta que sofreu muito com a pressão que as modelos passam na profissão, mas, mais do que isso, foi algo que a traumatizou. "A gente sente muito, as vezes ainda hoje sonho com isso, tenho pesadelo".

Outro problema nessa profissão, segundo ela, é o vinculo de amizade que as meninas criam entre elas. "Eu morava com meninas que faziam os mesmos testes para uma campanha. A carreira tem uma pressão constante".

De acordo com Luize, a pressão do Miss Rio Grande do Sul foi muito maior do que concursos nacionais. "É muito divulgado, tem amigos e famíliares próximos lá", comenta. "O Miss Brasil já era meu terceiro concurso, então eu já estava mais tranquila", completa.

Hoje em dia, a pressão continua pelos padrões de beleza, que, não é segredo para ninguém, mudaram ao longo dos anos. "De uns cinco anos para cá, o padrão de beleza ficou muito exigente e é sofrido isso, porque tem meninas que não têm o perfil para conseguir chegar a um peso, ou a uma medida e isso acaba prejudicando sua própria saúde", pontua.

Playboy

Com  publicidades, videoclipes e concursos, o sucesso de Luize Altenhofen só foi aumentando e, além de sair na capa da Trip quatro vezes, ela também protagonizou ensaios nus na Playboy. O primeiro, em 2000, quando tinha apenas 19 anos, aconteceu em Fernando de Noronha por opção da própria modelo. "Esse ensaio rendeu tanta foto, que deu para fazer mais um ensaio, então eu sai na capa de janeiro e dezembro e isso era uma coisa inédita na revista", explica ela.

Luize Altenhofen em ensaios de revistas masculinas
Reprodução
Luize Altenhofen em ensaios de revistas masculinas

O segundo - ou terceiro - ensaio, aconteceu com seus 26 anos anos, também no litoral, só que dessa vez em Trancoso, também escolha de Luize. "Eu amo ver os ensaios, sempre fui muito profissional e quando você tem carinho pela profissão, pelo trabalho, o resultado vai ser o melhor possível". De acordo com a modelo, não é só o lugar das fotos que ela escolheu. "Escolho fotógrafo, cabeleireiro, maquiador. Eu que monto a equipe e isso é fundamental para um bom resultado". 

Sem arrependimentos, a modelo diz que, caso tenha oportunidade, não vê nenhum problema de posar novamente para a Playboy. "Só não sou a favor do nu vulgar. Acho o nu bonito desde que de forma artística, de uma forma natural, sem muita pose, uma coisa mais sensual".

Seria uma crítica? Talvez, já que Luize conta que vê muita coisa escandalosa na internet, que em sua época não tinha. "A gente vê as meninas se expondo por nada, sem objetivo ou com o objetivo só de atrair olhares. Não quero criticar, mas hoje em dia é mais exagerado".

Leia também: Conheça Rayane Amaral, a surfista que entrará em "O Outro Lado do Paraíso"

Finalmente, a TV

A recompensa de todo o trabalho de Luize Altenhofen foi um programa para chamar de seu no famoso canal de esporte Sportv. Depois, a, agora apresentadora, foi para a TV aberta, na Band com o "Band Esporte Clube, que era ao vivo. "Eu amo programa ao vivo, eu preferia e era ótimo", comenta. A modelo ainda apresentou o "Vídeo News", mais voltado para entretenimento, provando mais uma vez que fez sucesso por onde passou. "Eu gosto dos dois, tanto do esporte, quanto entretenimento, mas gosto mais do esporte, eu entendo mais, tenho mais conhecimento", explica ao ser questionada sobre onde acha que se deu melhor.

Luize Altenhofen tem um grande currículo na televisão
Reprodução
Luize Altenhofen tem um grande currículo na televisão


Longe do esporte por um período, Luize voltou para cobrir as Olimpíadas de 2016 no SBT. "Era mais formal, outra linguagem. Foi incrível, foi otimo, reencontrei amigos da profissão e foi uma oportunidade incrível por estar com Rachel Sheherazade e Carlos Nascimento, acho eles incríveis, exelentes profissionais, carro chefe do SBT".

Enquanto ficou fora dos programas de TV, Luize arriscou-se a fazer pequenas participações em novelas da Globo e deu vida à uma mergulhadora na novela "Amor à Vida", em 2013. "Eu gosto de televisão, gosto desse meio. Fiz curso de cinema também e são coisas que quero levar pra frente sim, gosto de estar em movimento", ressalta. E se você está achando que as experiências param por aí, está muito enganado. Após o curso de cinema, Altenhofen viveu uma jornalista esportiva em sua primeira participação nas telonas com o filme "4x100 ", da Globo Filmes. 

Assim como em qualquer profissão, a TV também tem seus problemas nos bastidores, mas, mais do que isso, Luize sofreu com outro problema: o preconceito com as mulheres no esporte. A resposta dela? "A gente bate isso com conhecimento e estudo. Por isso foi fácil". Apesar disso, ela não guarda rancor nenhum. "Foi bom, trabalhei com excelentes profissionais, sou amiga até hoje, muitos saíram de lá, porque o mercado é o mesmo, as pessoas são as mesmas".

Uma vida dedicada ao esporte

O esporte na vida de Luize Altenhofen não fica apenas no profissional. Formada em educação física, além de jornalismo, os pais da modelo são professores de educação física. "Eu ia com eles nas aulas das universidades, cresci e acabei me envolvendo com o esporte", conta. Além disso, a gata é mergulhadora, pratica surf e Snowboard, onde já competiu em duas categorias.

Além disso, Luize, que não gosta de ficar na mesmice, costuma correr na USP, no Parque do Ibirapuera, anda de patins, de bike, vai para a academia, onde faz transport, aula de bike musculação. "Vou variando.  Adoro acordar cedo, corro na areia fofa e surfo, faço trilha, vou variando, quando vira uma obrigação, não gosto". A paixão vem passando de geração em geração e chegou até Greta, filha de 8 anos da modelo. "Ela faz  judô, natação, capoeira, circo".

Beleza depois dos 30

Luize Altenhofen esbanja corpão em foto de topless
Reprodução/Instagram
Luize Altenhofen esbanja corpão em foto de topless

A vida pessoal e a vida profissional de Luize se misturam, é verdade. Se ela desfila por aí desde seus primeiros passos com um corpo impecável, é graças ao esporte e também uma alimentação equilibrada. "Fico apavorada se a calça aperta um pouco", revela. Por isso, ela procura não comer frituras, gorduras e prefere a carne magra. "Não é uma coisa sofrida".

"O segredo é se cuidar, cuidar da alimentação, da saúde, dormir bem, que eu faço muito, aliás, durmo bastante, de oito a dez horas por dia. Durmo cedo, 22:30 to na cama e acordo umas 8h".

Com 38 anos, Luize Altenhofen se diz preparada para a chega dos quarenta anos, temido por alguns. "A idade não me assusta. Toda idade é maravilhosa, tem sua fase seu momento", finaliza.