Tamanho do texto

A cantora irá participar do programa de Luciana Gimenez nessa terça (12) e comenta que para aguentar show precisou fazer xixi em copo descartável

Convidada do programa "Luciana by Night", a cantora baiana Alinne Rosa desmentiu o mito de pessoas do nordeste serem "devagares" e revelou que já chegou a fazer xixi em copo descartável enquanto cantava durante show. A artista também reclamou sobre quem só quer saber de nudes e disse que o "mercado de relacionamentos" está difícil. 

Leia também: Shows e looks ousados marcam o carnaval de Alinne Rosa

Cantora baiana Alinne Rosa revela que já precisou fazer xixi em cima do palco em copo descartável enquanto cantava
Rede TV! / Divulgação
Cantora baiana Alinne Rosa revela que já precisou fazer xixi em cima do palco em copo descartável enquanto cantava


Não quer saber de nudes

O negócio com a ex-integrante do grupo Cheiro de Amor não são relacionamentos digitais. No programa da apresentadora Luciana Gimenez na RedeTV!, Alinne Rosa diz que está sozinha e ainda reclama de quem fica só nos " nudes ". "O mercado está ruim, gente. O povo só quer saber de pedir nudes, ficar em um papo na internet e não sai daquilo ali", justifica. 

Leia também: Lucas Lucco comemora beijo de R$ 22 mil comprado por Alinne Rosa: "Que prazer"

Adepta da massagem tântrica , a cantora disse até que chegou a fazer curso da prática, mas nunca conseguiu testar em ninguém. "A primeira vez eu fui por curiosidade. Fizeram em mim, eu me descobri e pensei: 'cara, que coisa mágica'. Você fica num estado alterado muito grande". No programa ela ainda fez uma demonstrção para explicar as vantagens da massangem tântrica. "Os pontos que fazem cócegas são pontos sensíveis que devem ser trabalhados e não é um orgasmo simplesmente sexual, é um orgasmo terapêutico". 

Leia também: Gracyanne Barbosa posta vídeo ensinando a dançar Tweerk

Aproveitando a ocasião, a morena também disse que seu suposto affair com o jogador Neymar não passa de boatos e que as pessoas inventam o que bem entendem. Ela ainda desmistificou o mito de que baianos são "lentos" e falou que já chegou a fazer 12 horas de show em um trio-elétrico, situação que classificou como sobrehumana e relevou que para dar conta acaba fazendo xixi no palco mesmo. "A gente se prepara fisicamente com médico, otorrino, fono e xixi eu faço ali mesmo, cantando também, no copo descartável", revela. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.