Tamanho do texto

Ator estrela edição de janeiro da GQ, que já está nas bancas. Cauã será o protagonista da minissérie "Dois Irmãos", que estreia segunda-feira (9)

Cauã Reymond é capa da primeira edição da revista GQ de 2017, que também traz um ensaio do ator. Além disso, ele conversou com a publicação no quintal de uma produtora próxima a sua casa,  no Joá, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Leia mais:  Cauã Reymond comemora trabalho em nova série da Globo: “É o papel da minha vida”

Cauã Reymond
Divulgação/GQ
Cauã Reymond

Cauã Reymond falou sobre os seus projetos para este ano e relembrou a sua trajetória até se tornar um dos atores mais famosos do país - e um dos mais bem pagos pela publicidade. O ator  contou que vem de uma família fragmentada, cujos pais se separaram quando ele tinha apenas dois anos.

Capa @GQBrasil de janeiro. Foto: @pedrodimitrow. Moda: @thico @armani :)))

A photo posted by Cauã Reymond Oficial (@cauareymond) on

Leia mais:  Cauã Reymond participa de entrevista confusa e cheia de gafes na TV argentina

O jiu-jitsu ocupa um papel importante em sua vida, imprimindo em seu caráter a disciplina e um rígido código de conduta. “Não gosto de parecer arrogante, mas tenho orgulho de ter chegado aonde cheguei sem ajuda”, contou.

Carreira na Globo

Cauã Reymond está na GQ deste mês
Divulgação/GQ
Cauã Reymond está na GQ deste mês

O ator também comentou sobre seu novo papel na TV, na minissérie "Dois Irmãos", dirigida por Luiz Fernando Carvalho, em que fará os protagonistas gêmeos Omar e Yaqub, dois irmãos de uma família de imigrantes libaneses que se odeiam.

Leia mais:  Grazi Massafera desabafa sobre separação de Cauã Reymond: "Foi cruel"

Cauã Reymond aproveitou para relembrar sua carreira na emissora global. Nos últimos anos, ele fez uma novela de sucesso internacional – "Avenida Brasil" –, duas séries muito elogiadas – "Amores Roubados" e "Justiça" – e diversos filmes. Já neste ano, o carioca começará a produzir e protagonizar um filme sobre o imperador Dom Pedro I. Ele é ainda o ator brasileiro mais solicitado para publicidade, campo onde especula-se que o ator não discute contratos por menos de R$ 1 milhão.