Cheia de polêmicas, novela de Walcyr Carrasco apresenta personagens, mas acaba se apoiando na próxima fase para fase para andar

“O Outro lado do Paraíso” tem a difícil missão de superar “ A Força do Querer ”, sucesso anterior que ocupou o horário nobre da rede Globo. Porém, ao contrário do que fez a antecessora, a novela de Walcyr Carrasco corre com seus temas, para desenvolvê-los na segunda fase.  O casal principal, por exemplo, se apaixonou, casou, enfrenta uma crise, vai ter um filho e desenvolveu o polêmico assunto da violência doméstica em 15 dias. O problema é que, com o passo corrido, a trama não parece desenvolver direito.

Leia também: Marieta Severo: o trunfo de “O Outro Lado do Paraíso”

Divulgação/TV Globo
"O Outro lado do Paraíso" teve trama corrida nocomeço e aposta na temática da vingança na segunda fase

Ainda não foi possível, por exemplo, criar empatia com personagens secundários que deveriam se destacar como a Mercedes de Fernanda Montenegro, ou as personagens do bordel comandadas pro Laura Cardoso e Mayana Neiva. Glória Pires, que é protagonista de “ O Outro Lado do Paraíso ” ao lado de Bianca Bin , também teve uma trama acelerada até agora. Foi de esposa de diplomata e mãe de família a assassina alcoólatra em um piscar de olhos.

Leia também: Ambição, amor e vingança movem primeiros capítulos de "O Outro Lado do Paraíso"

Sem desenvolver melhor os personagens, ficou difícil, até agora, criar uma conexão com algum deles, ainda mais torcer para alguém. Na segunda fase, que se passará 10 anos depois, veremos a trama girar em torno da vingança das protagonistas, mas até agora a sensação de “coitadas” pode até ter surgido, mas essas personagens não tiveram a oportunidade de mostrar a que vieram.

Temas polêmicos

Protagonistas ainda não criaram empatia na novela
Divulgação
Protagonistas ainda não criaram empatia na novela

Além dos temas citados acima, como violência doméstica e alcoolismo, existem outras polêmicas que a novela vai retratar: homossexualidade, nanismo, racismo e corrupção. Mas todos eles parecem forçados. Sophia ( Marieta Severo ) destrata a filha anã Estela (Juliana Caldas) em cenas que parecem amadoras. Eriberto Leão ainda não entrou no papel de Samuel e seu conflito em relação à sexualidade parece mais uma tentativa de “cumprir função social” do que real disposição em tratar um tema tão sensível e, por que não, tabu.

O Outro Lado do Paraíso ” promete boas histórias mas, até agora, não entrega o prometido com cuidado. Sem desenvolver a narrativa adequadamente, a novela se apoia em cenas como as agressões de Gael ( Sergio Guizé ) ou a sensualidade de Lívia (Grazi Massafera).

Leia também: Vilã carente de "O Outro Lado do Paraíso" repercute na web

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.