Especialistas debatem porque o brasileiro quase não frequenta museus

Apesar de as exposições hype nos Centros Culturais terem atraído filas de dobrar o quarteirão nos últimos anos, o brasileiro ainda não tem o hábito de frequentar museus - mesmo em classes sociais mais elevadas. E os dados são ainda piores quando olhamos para as populações mais carentes.

Leia também: Museus se preparam para nova era e se transformam em agentes do presente

Brasileiro quase não frequenta museus; especialistas pontuam desconhecimento e falta de hábito
Divulgação
Brasileiro quase não frequenta museus; especialistas pontuam desconhecimento e falta de hábito

Segundo Nelson Colás, diretor de Relações Institucionais da Feambra (Federação de Amigos de Museus do Brasil), uma das causas é a falta de hábito do brasileiro em frequentar esses locais. “Por sermos um país jovem, com uma grande miscigenação ética e educação patrimonial ainda tão precária, também existem aqueles que acham que só o que é novo é bom e interessante”, diz Colás. Outra é o desconhecimento sobre aquilo que está sendo exposto nestes locais também explica a baixa procura pelas intituições culturais.

Leia também: O fenômeno das grandes exposições de arte em São Paulo

Outro fator, que pode parecer óbvio, mas talvez seja o principal é a baixa quantidade desses espaços no País. Segundo o Panorama Museus no Brasil de 2010, um levantamento realizado pelo IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus), dos mais de 5.500 municípios brasileiros, 78,9% não possuem esses espaços. Embora em 2016 a quantidade de visitantes nos museus de todo o País tenham crescido, isso não reflete a real situação.

Isso porque a maior parte dos visitantes frequentaram as exposições de grandes nomes, que tiveram grande repercussão na mídia. Aqueles que se dedicam a memória brasileira tiveram mais destaque no ano passado, como o MIS (Museu da Imagem e do Som), Museu Imperial, Museu do Futebol, Museu Histórico Nacional, entre outros.

Leia também: A censura mecanizada das redes sociais que ameaça universo das artes

Para Flávia Veloso, diretora do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), frequentar museus é promover a manutenção da cultura enquanto sociedade, tornando esses lugares mais democráticos.  “A forma como a sociedade enxerga os museus tem que mudar. Os museus têm que se aproximar da sociedade para que ela possa participar e se sentir parte”, alertou. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.