Uma equipe da RecordTV do Espírito Santo foi ameaçada por supostos criminosos durante uma entrevista ao vivo no “Cidade Alerta” da última quinta-feira (30). O repórter falava diretamente da capital Vitória, em um bairro que foi local de confronto entre bandidos e policiais – onde foram apreendidas drogas e munições.

Leia também: Gérson de Souza nega acusações de assédio: “Nunca agi de maneira ofensiva”

Repórter do
Reprodução/Record
Repórter do "Cidade Alerta" de Vitória é ameaçado de morte ao vivo

Enquanto o jornalista relatava a ação policial para o apresentador do “ Cidade Alerta ”, um carro, que passava em alta velocidade, parou ao lado dele. Eles disseram que iriam “matar todo mundo” e mandaram que a equipe desligasse a câmera. Muito nervoso, o repórter disse que eles iriam desligar e a transmissão foi interrompida.

Nessa sexta-feira (31), os repórteres da RecordTV apareceram nos telejornais vestidos de branco como forma de protesto. No último dia 6 de maio, a emissora também foi alvo de ataques de bandidos enquanto cobria outra ação policial que aconteceu em Vitória. Nesse dia, os criminosos colocaram fogo no carro de reportagem e tudo foi mostrado ao vivo durante uma edição do “Balanço Geral”.

Leia também: As cinco cidades onde a Record ameaça a audiência da Globo

Em comunicado, a emissora disse que os profissionais, tanto repórter como cinegrafista, estão bem e que as devidas providências já estão sendo tomadas. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Espírito Santo (Sindijornalistas) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) falaram que isso trata de mais um ataque inadmissível ao trabalho da imprensa por grupos armados que ocupam as comunidades.

Momento em que a reportagem foi interrompida
Reprodução/Record
Momento em que a reportagem foi interrompida













Leia também: Apresentador é barrado em último dia na Record: "O que eu fiz de errado?"

“Nossas entidades exigem do governo do Estado segurança de trabalho para os jornalistas e também para os moradores dessas regiões. É inaceitável que este tipo de ocorrência tenham se tornado uma prática, visto que recentemente um veículo da mesma emissora foi incendiado na mesma região”, diz o comunicado.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública informou que o setor de inteligência já iniciou o levantamento das informações para auxiliar na investigação e identificar suspeitos das ameaças feitas ao jornalista do “ Cidade Alerta “ , que se aproveitaram da presença policial concentrada na parte alta do morro, para cometer o crime nas vias de acesso.

    Veja Também

      Mostrar mais