No "Conversa com Bial" da última quarta-feira (29), Pedro Bial recebeu Regina Duarte e conversou com a atriz sobre seu apoio a Jair Bolsonaro. A artista é defensora do governo, chegou a fazer campanha polícia na época das eleições e virou alvo de opositores do presidente.

Leia também: José de Abreu critica Regina Duarte e rebate seguidor sobre carreira na Globo

Regina Duarte
Reprodução/Globo
Regina Duarte durante o "Conversa com Bial"


"Em 2002 fui chamada de terrorista e hoje sou chamada de fascista, olha que intolerância? E eu achando que vivia em uma democracia, onde tenho o direito de pensar de acordo com o que eu quero", disse Regina Duarte no programa. "Eu respeito todo mundo que pensa diferente de mim. Não saio xingando as pessoas por aí", completou.

Leia também: Promessa de campanha, Bolsonaro reduz apoio à Cultura nos 100 primeiros dias

A atriz também falou sobre o feminismo. "Eu nunca me declarei uma feminista, mesmo fazendo a Malu. Eu não acho que as coisas são por aí, acredito que há caminhos intermediários", disse, relembrando sua personagem na série "Malu Mulher".

Ela comentou que apesar de atitudes, é uma mulher conservadora. "Eu só tenho medo de ficar velinha e dizer: 'Ah, esse mundo está perdido'. Não, que horror! Que horror!", completou.

Jair Bolsonaro e Regina Duarte
Reprodução/Instagram
Jair Bolsonaro e Regina Duarte


Leia também: Regina Duarte defende extinção do STF e causa polêmica na web

Quem acompanha Regina nas redes sociais, sabe que ela sempre exalta Bolsonaro . Ela já chegou a defender a extinção do Supremo Tribunal Federal, aderiu à companha pelo voto aberto para a presidência do Senado Federal e garantiu que comentários homofóbicos do presidente são "da boca para fora". 

Regina Duarte também já se envolveu em polêmicas com José de Abreu, opositor do governo. Diversas vezes, os dois atores trocaram farpas nas redes sociais por questões políticas.

    Veja Também

      Mostrar mais