Tamanho do texto

Sucesso de novelas como "Rock Story" e "Cheias de Charme" mostra que existe público para esse filão, ainda pouco explorado pela emissora

O sucesso de "Rock Story" atualmente às 19h30 e da reprise de "Cheias de Charme" no "Vale a Pena Ver de Novo" mostra que o público de novelas está aberto a consumir tramas que tenham a música como fio condutor. Embora comum em séries americanas, o musical ainda é pouco explorado pela Globo em nossos folhetins.

Leia mais: O que deu certo e errado na TV em 2016

Vladimir Brichta protagoniza
João Miguel Júnior/TV Globo
Vladimir Brichta protagoniza "Rock Story" como o roqueiro Gui Santiago


"Rock Story" ousa em, num momento no qual o sertanejo domina o país, colocar um roqueiro, Gui  Santiago ( Vladimir Brichta , que volta às novelas após dez anos) como protagonista. Os shows que permeiam tramas assim trazem leveza e empatia às histórias - embora a maioria dos telespectadores não cante profissionalmente nem seja músico, é um universo não tão distante do dia a dia, já que todo mundo consome música no cotidiano.

Leia mais:  Tudo sobre Cheias de Charme

Taís Araújo, Leandra Leal e Isabelle Drummond formaram as Empreguetes em 'Cheias de Charme'
Matheus Cabral/Globo
Taís Araújo, Leandra Leal e Isabelle Drummond formaram as Empreguetes em 'Cheias de Charme'


Com "Cheias de Charme", em 2012, a emissora viu o público surtar com as Empreguetes, formadas pelo trio Penha ( Taís Araújo ), Cida ( Isabelle Drummond ) e Rosário ( Leandra Leal ), além das trapalhadas da cantora Chayenne ( Cláudia Abreu ).  Cada clipe, além de elevar a audiência do capítulo, bombava também no site oficial da trama, uma das maiores audiências das 19h dos últimos anos. Em 2016, tem quem pare o que está fazendo para matar as saudades dos números dessas personagens.

Leia mais:  Conheça a trama de "Rock Story"

Em 'Malhação Sonhos', os adolescentes cantavam na Ribalta
Tata Barreto / Globo
Em 'Malhação Sonhos', os adolescentes cantavam na Ribalta

Claro que nem sempre dá resultado. "Malhação - Sonhos", em 2014, chegava à vergonha alheia em alguns momentos, quando colocava seus personagens, por exemplo, para cantar em uma discussão no meio da rua - parecia um rascunho mambembe da série "Glee". Com o passar dos capítulos, os números musicais foram diminuindo e a ação foi centrada em romances e sequestros.

Não se está dizendo que apenas essas três tramas tiveram canções - "O Rei do Gado" (1996), "Torre de Babel" (1998), "Kubanacan" (2003) e "Paraíso" (2009), só para citar alguns - tinham atores cantando, porém não eram seus números musicais ou carreiras que movimentavam essas novelas .

O SBT já faz bem isso com suas novelas infantis: "Carrossel", "Chiquititas", "Cúmplices de um Resgate" e "Carinha de Anjo" sempre permearam clipes com o elenco em seus capítulos.  Caso invista nesse filão - como fez durante certo período com novelas de época ou que se passavam em favela - a Globo pode colher bons frutos.