Tamanho do texto

Sucesso na TV e no rádio, Gil Gomes fala sobre a carreira, doença e repressão nos tempos da ditadura. Veja o que Gil Gomes disse sobre esses assuntos

Gil Gomes falou sobre seu estado de saúde e relembrou momentos marcantes da carreira no programa "Sensacional" deste domingo (25), na RedeTV!. O jornalista, sucesso no rádio e nos anos 90 no "Aqui Agora", do SBT, sofre de Parkinson, doença que atinge o sistema nervoso e afeta os movimentos, e voltou à TV após ficar 11 anos afastado.

Leia mais: Gil Gomes volta à TV após 11 anos

Gil Gomes fala sobre Mal de Parkinson e a carreira no 'Sensacional'
Divulgação/RedeTV!
Gil Gomes fala sobre Mal de Parkinson e a carreira no 'Sensacional'


"Tanta coisa que vivi, senti, chorei. Sou chorão e quando choro eu me revolto. Passei os últimos seis anos sentado em uma poltrona esperando a morte, mas agora voltei e estou feliz", diz Gil Gomes , acreditando que a doença pode ter sido desencadeada por problemas emocionais. "Hoje tenho 76 anos, com Parkinson e eu tremo. Porém, uma certeza quero ter até morrer: de que minha alma, meu coração e a verdade dentro de mim não tremam".

Leia mais:  Gil Gomes: "O jogo comprometeu a minha vida, mas não acabou com ela"

O locutor chora ao falar a Daniela Albuquerque sobre a perda do filho, que morreu após contrair hepatite C. "Lembro de quando estava me despedindo dele no cemitério, eu disse 'tchau Gui, até outro dia'. Foi a maior tristeza da minha vida ".

Leia mais:  Drama de Gil Gomes e choro de Sabrina deixam estreia de Geraldo Luís em 1º lugar

No 'Aqui Agora', ajudou a desvendar 638 crimes. Mas tem um que mexe com ele. "Mataram e deceparam o garotinho na Vila Carrão (SP). No enterro dele, jurei que não descansaria enquanto não pegasse o cara e não pegamos. Trabalhei neste crime por 10 anos e ficou marcado em meu coração. Dói até hoje".

Repressão

Gil Gomes nos tempos do
Reprodução
Gil Gomes nos tempos do "Aqui Agora"

Gil Gomes trabalhou na época da Ditadura Militar (1964-1985) e revelou que, embora nunca tenha sofrido agressões físicas, foi preso cerca de 30 vezes: "Terminava o programa e a viatura da Polícia Federal vinha me buscar. Só que eu era amigo do [político] Romeu Tuma e sempre saía".

Apenas uma vez ficou com medo. "Recebi dezenas de ameaças, mas só me apavorei com uma. Trabalhava na rádio e recebi um telegrama dizendo que tinha apenas 30 dias de vida. No outro dia, recebi mais um, escrito '29 dias de vida', e começou uma contagem regressiva. Quando faltavam 12 dias, mataram meu gato, envenenado. Depois daí, a contagem acabou e não aconteceu nada, mas eu tenho uma mania de valente", contou Gil Gomes à apresentadora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas