Tamanho do texto

Feliz na RedeTV!, apresentadora fala sobre os dez anos do "A Tarde é Sua" e abre os bastidores de seu programa ao iG

Sonia Abrão está em festa. Neste mês, o "A Tarde é Sua", programa que Sonia comanda de segunda a sexta na RedeTV!, completou 10 anos. O iG acompanhou os bastidores das gravações da atração e bateu um papo com a apresentadora, que falou sobre sua trajetória, o aniversário da atração e os planos futuros.

Sonia Abrão:
Guilherme Machado/iG São Paulo
Sonia Abrão: "Não pensava que fosse durar tudo isso"

Ela confessa que nunca quis ser apresentadora e explica o que a convenceu: "Era um veículo que eu já conhecia, mas não tinha experiência, um espaço próprio. Isso para mim acabou sendo um desafio, uma surpresa. Não pensava nem que fosse durar tudo isso”.

O formato do programa é herdeiro do "A Casa é Sua", que Sonia dividia com outros apresentadores no começo dos anos 2000. Para ela a diferença é que com o "A Tarde", já havia mais experiência e se entendia mais o que o público esperava. Sonia também sempre disse que o formato revolucionou o horário da tarde, trazendo uma nova dinâmica e saindo dos padrões dos programas femininos tradicionais.

"Quando surgiu o ‘A Casa é Sua’ eu já tinha um laptop na minha mesa e interagia com o público, acho que foi um dos primeiros programas a fazer a interatividade com público por meio da internet, de colocar uma mídia dentro da outra, porque ninguém mostrava os jornais, as revista. Eu achava que visualmente também rendia bastante e a repercussão foi muito boa”, conta Sonia.

Ela também diz que não queria fazer um programa tradicional justamente por não achar que tinhas as habilidades, uma vez que não sabe cozinhar e "não está nem aí para desfile de moda".

Temas abordados

Sonia Abrão comemora 10 anos na RedeTV
Artur Igrecias / Divulgação RedeTV!
Sonia Abrão comemora 10 anos na RedeTV

Sonia trabalhou anos como repórter e diz que até hoje tem alma de jornalista. Ela esclarece que o vespertino sempre possuiu uma pegada factual, apesar de hoje estar mais focado no jornalismo de entretenimento. "A gente nunca deixa de acompanhar os acontecimentos, abre espaço. Foi o que fizemos nessa sequência política, nos grandes crimes de repercussão nacional. O que for o assunto do momento vai estar no 'A Tarde é Sua'", relata.

Ela também conta que não tem preferência pelo entretenimento e que nunca optou por trabalhar nessa área, mas acabou sendo escalada. "Comecei fazendo reclamação de bairro no 'Notícias Populares' (polêmico jornal que teve sua circulação encerrada em 2001). Galocha, enchente, beira de rio. Rato, barata para mim eram aperitivos”.

Bastidores

Quem vê o programa na TV nem imagina o trabalho que ocorre por trás. Entre um intervalo e outro, Sonia conversa com seus colegas e revisa os assuntos que serão discutidos no próximo bloco. No ar, ela se movimenta pelo estúdio e sua equipe de gravação a acompanha, sempre com um tela para que saibam qual imagem está indo ao ar. Enquanto uma câmera está focada na mesa de conversa, a produção monta e desmonta as mesas de merchandising. Quando Sonia vai para o merchan, os apresentadores que ficam na mesa começar a cochichar algum assunto. 

Um pouco dos bastidores do
Guilherme Machado/iG São Paulo
Um pouco dos bastidores do "A Tarde é Sua"

"Sonia Caixão"

Durante uma época na qual o programa teve uma fase policial mais intensa, diversas piadas foram feitas em relação à apresentadora. O apelido "Sonia Caixão" e a brincadeira de que, na verdade, Sonia fazia programa ao morto, e não ao vivo, são alguns exemplos. "Foi difícil. Não me assustou, porque era muito engraçado (risos). A gente tinha que dar risada, era muito bem feito e é até hoje, esses memes são muito bem bolados, muito criativos. Mas eu me sentia injustiçada porque não correspondia à realidade, eu não estava fazendo aquilo porque eu quisesse. É que a gente pegou justamente essa onda [de casos policiais], foi uma fase muito hard do nosso programa, difícil para gente de fazer", declara.

Questionada se ela acredita que o "A Tarde é Sua" seria criticado desta forma caso fosse um programa da Rede Globo, Sonia é taxativa: "Nunca, de jeito nenhum. O pessoal é blindado. Vê se alguém critica às vezes aquelas coisas tão tontas que acontecem no 'Vídeo Show', ninguém. Pessoal bate palminha, acha lindo, e o programa não está lá essas coisas". 

Ela também diz que não é famosa, mas sim conhecida. "Não sou roqueira, não sou símbolo sexual, só a companheira das tardes, a amiga da dona de casa, a abordagem é sempre carinhosa", diz ela. Apesar disso, Sonia causou furor nas redes sociais alguns anos trás após postar uma foto de maiô na internet. "Eu falei: 'gente, por quê?' Acabou virando uma coisa muito engraçada". 

Geladeira

Sonia estreou nos dez anos do programa, a geladeira do "A Tarde é Sua”, onde ela e outros convidados colocam nomes de figuras que, e acordo com eles, pisaram na bola. Questionada se colocaria alguma figura política dentro da geladeira, Sonia afirma: “Colocaria nossa presidente (afastada) tranquilamente. Ia deixar lá muito tempo. Talvez até o final dos tempos”, diz, referindo-se a  Dilma Rousseff.

"Um boi para não entrar na briga, e uma boiada para não sair dela"

O ditado acima é quase um mantra de Sonia. Embora tenha um jeito doce e meigo de ser, ela não tem medo de dizer o que pensa e de criticar que acredita que precisa ser criticado. "Não é pensado, de repente bate. Quando vi a Fabiula [ Nascimento ] ir atrás da Cinthia [ Lima , repórter da RedeTV!] para tirar satisfação com ela, falei: 'Poxa, como'. A menina está ali a trabalho. Não é demais? É um desprezo com a nossa profissão, desrespeito com a profissional".

A apresentadora também revela que possui uma relação de "amor e irritação" com a TV. Se por um lado, se sentiu uma "brasileira por completo" por alcançar diversos locais do Brasil, ela não gosta nem um pouco do fato de o meio atrair muita vaidade e ego.

Agora, Sonia fala das expectativas para o futuro: "Não faço planos. A gente vai encarando, eu sempre me preparo, reflito sobre os assuntos e estou sempre ligada. Espero estar preparada sempre e ter competência para fazer aquilo que cruzar meu caminho", diz, afirmando que se acha mais jornalista do que apresentadora.