Tamanho do texto

Ao iG, humorista fala sobre nova fase na carreira e garante não se intimidar em trabalhar com Boninho: "Não temo hierarquias"

Com nove anos de experiência em televisão aberta, Rafael Cortez  é a grande aposta da Globo para a reformulação do "Vídeo Show" na era pós Monica Iozzi . Multifuncional, o humorista assumiu o cargo de repórter do programa e também substitui  Otaviano CostaMaíra Charken  na apresentação quando necessário.

+ Monica Iozzi e Maíra Charken desafiam regras da Globo e não medem palavras

Na Globo, ex-CQC Rafael Cortez reconhece:
Divulgação/Estevam Avellar
Na Globo, ex-CQC Rafael Cortez reconhece: "É difícil manter minha personalidade"


Em um bate-papo com o iG , Cortez comemorou a nova fase na carreira e revelou que o convite para trabalhar na Globo aconteceu de forma espontânea. "Fui procurado pela primeira vez em dezembro pela direção do 'Vídeo Show'. Conversamos durante um tempo para acertarmos todos os detalhes e no começo do ano eles formalizaram o contrato", conta. "De cara aceitei o projeto. Eu sempre quis trabalhar na Globo, mas tinha que ser em uma oportunidade que eu pudesse contribuir do meu jeito".

Rafael Cortez fez sua carreira televisiva no
Divulgação
Rafael Cortez fez sua carreira televisiva no "CQC"

Depois de cinco anos no "CQC", na Band, o jornalista reconhece as dificuldades que terá pela frente no novo programa. "O maior desafio tem sido manter minha personalidade para o público mais abrangente do que eu atingia antes. O 'Vídeo Show' tem um público muito diversificado: crianças, adolescentes, adultos e até os mais velhos gostam de assistir. É difícil ser aceito por grupos tão diferentes", afirma. 

Conhecido pelo humor escrachado e ácido, Rafael Cortez acredita que não vai mudar de postura na Rede Globo. "Não quero perder a minha essência, mas quero ser acessível para a família. O público não é burro, se você é um cara do humor, que põe o dedo na ferida, e de uma hora para outra finge que é outra pessoa, você se prejudica com todo mundo. Eles percebem". Quanto à liberdade de criação e expressão criticada por alguns globais, o jornalista garante que não enfrenta problemas com a direção. "Sempre tive muita liberdade na carreira. Na Globo não é diferente. Quem entende de TV sabe que a condição para um artista brilhar é ele estar a vontade. E eu estou muito feliz, me sinto abençoado".

+ Rafael Cortez sobre volta ao "CQC": "Saí para poder voltar melhor"

Na Band, Rafael Cortez trabalhou por anos ao lado de Monica Iozzi, uma das figuras mais polêmicas e influentes da nova casa. Para o jornalista, a relação com a ex-apresentadora do "Vídeo Show" não influenciou em nada sua contratação. "Ela é minha melhor amiga, mas não foi ela quem me colocou lá dentro. Ela não tem esse poder. A Monica me ajudou como amiga, sim. Me ajudou a seguir em frente, me deu muitos conselhos. O melhor que ela deu foi para eu aceitar o trabalho, mas eu já aceitaria de qualquer maneira", pondera.

Sobre a relação com o "todo-poderoso" Boninho , um dos responsáveis pela direção do "Vídeo Show" e um dos diretores mais respeitados no Projac, o humorista afirma que se sente a vontade em trabalhar ao lado dele. "O Boninho é um cara de respeito. Tive pouco contato com ele, mas não tenho esse temor com hierarquia. Sempre vi todo mundo como igual. Claro que ele é ele, tenho respeito. Eu sempre humanizo as pessoas com que eu falo".

Rafael Cortez é a aposta da TV Globo para nova fase do
Divulgação/TV Globo
Rafael Cortez é a aposta da TV Globo para nova fase do "Vídeo Show"