Dupla comanda o núcleo cômico da novela das 21h da Globo e ganha destaque na trama com triângulo amoroso e humor

Pensar em Clóvis sem Norberto em "Babilônia" é impossível. Além de garantirem um pouco de leveza à trama comandando o núcleo cômico da obra, a dupla é inseparável até na hora de disputar o amor de Valeska ( Juliana Alves ). O triângulo amoroso colocou os atores ainda mais evidência na trama, que já caminha para a reta final. Enquanto a novela sofre para superar a rejeição do começo, quando já de cara apresentou cenas mais pesadas como assassinato e entrou em polêmicas com beio gay, o núcleo de Clóvis e Norberto aparece em praticamente todos os capítulos com cenas de humor e trapalhadas entre os amigos. 

Hoje, Igor Angelkorte , o Clóvis, e Marcos Veras , o Norberto, também são amigos e ampliaram a relação para fora da tela, mas eles nem se conheciam antes da novela e se obrigaram a conviver juntos.


"A gente não se conhecia, nem de aperto de mão. Nunca tinha esbarrado com o Veras na minha vida", lembra Igor em um bate papo excluviso com o iG Gente . Logo isso iria mudar. "Quando me convidaram para fazer a novela - e com o Veras foi a mesma coisa -  o que falaram não foi o seu personagem é isso e ou aquilo. Já falaram: 'Você vai fazer uma dupla cômica com o Marcos Veras'.

"Os personagens já foram apresentados como um uma extensão do outro", explica Igor. E se Clóvis e Norberto seriam tão cúmplices assim, era preciso levar essa convivência para a realidade. "Quando a gente se encontrou a primeira vez para fazer leitura no Projac, a gente olhou um para o outro e falou: 'Vamos fazer um trabalho fora. Vamos nos encontrar para poder criar uma afetividade que transborde para os personagens'", completa.

Eles seguiram o plano à risca. "Bem antes da gente começar a gravar, eu fui até a casa do Veras, conheci a Julia [mulher de Veras], tomamos um vinho, lemos as cenas. Na semana seguinte a mesma coisa, mas também já saimos para ver um filme. Depois no lugar do vinho foi uma cervejinha. Naturalmente o que começou como uma escolha artística, foi virando um desejo".

"A gente tem um prazer enorme de sair, se encontrar. A gente criou mesmo uma amizade verdadeira", detalha. "Agora, enquanto converso com você, estou indo para o Projac e vou encontrar com ele para conversar e almoçar antes de gravar as cenas de hoje", revela.

Até as mulheres entraram na onda da amizade. Igor namora há três anos a atriz Aline Fanju. Ela já conhecia Julia, mas elas não mantiveram contato. Agora, com a aproximação dos atores, as mulheres também viraram parceiras.


Do drama para a comédia

A Globo me fez descobrir a possibilidade da comédia"

Quem vê Igor como Clóvis, ou se lembra do atrapalhado Marcelo, de "Além do Horizonte", pode não imaginar que ele é um ator de formção dramática que não se via fazendo comédia. Caiu nesse meio com o cadastro na Globo. Ele conta que um pesquisador de elenco o viu no teatro, em uma peça dramática, e o convidou para fazer o cadastro e, na hora do teste, pediu um papel cômico.

"Eu pensei: 'Esse cara não entende nada, ele está equivocadíssimo. Ele errou'. Até falei que a comédia não era o meu exercício, mas ele insistiu porque era uma carência que eles tinham. Aí eu fiz. Foi a primeira vez que eu olhei para uma cena e falei: preciso fazer com que isso aqui seja minimamente risível. Eu inventei uma cena que fazia um teste para viver o Pelé e jurava que minha alma era negra. Era uma cena absurda e que acabou ficando muito engraçada. Aí para os produtores de elenco que viram o teste e o cadastro, eu sou um ator cômico", relembra. "A Globo me fez descobrir a possibilidade da comédia", completa.

Igor não se incomoda em fazer dois papeis engraçados em sequência e não teme levar algum rótulo. "Agarrrei na comédia e vou levá­-la para o resto da vida comigo", brinca. "Não tenho medo de ficar marcado e também tenho descoberto uma nobreza e uma beleza muito grande em fazer comédia. É tão desafiador. Na cena dramática, só tenho que dar conta de ser crível. Se for fazer uma cena cômica, tenho que, em alguma medida, divertir", compara.

"Daqui a 10 anos vou olhar e falar que fiz bastante comédia, mas também fiz drama, tragédia e uma série de outras coisas. Naturalmente vou buscar uma variação de trabalho", comenta.

E Igor diz nem se considerar um cara engraçado. "Não mesmo, e nem tenho nenhuma técnica para fazer comédia. Eu sou mais intuitivo. Acho que o barato do meu jeito é ser meio torto assim", analisa.

Valeska e seus dois maridos

Por enquanto, Igor aproveita o sucesso de Clóvis e também todo o suspense para saber quem vai ficar com Valeska, se ele ou se o amigo Norberto. "É a pergunta que mais escuto nas ruas", diverte­-se.

Igor derrete-se pela namorada Aline Fanju e comemora três anos de namoro com post nas redes sociais: 'Obrigado pelo colorido todo. Te amo, viu'
Reprodução/Instagram
Igor derrete-se pela namorada Aline Fanju e comemora três anos de namoro com post nas redes sociais: 'Obrigado pelo colorido todo. Te amo, viu'

Fora da novela, Igor se derrete ao falar da namorada Aline. O relaciomanento de três anos caminha para algo mais sério ainda. "Quando a gente começou a namorar, eu morava com a minha mãe ainda e agora eu moro sozinho, então ela já tem um monte de coisinhas na minha casa. Devagarzinho a coisa vai se aproximando de um casamento. O namoro começou, as coisas foram indo e agora, cada vez mais, a gente dorme junto", revela.

Igor é nascido e criado no Rio de Janeiro e saiu há três meses da casa da mãe. "Precisava tomar vergonha na cara e virar homem. Mas a minha mãe morre de pena que o filho tenha saído de casa", fala aos risos.

E se perguntam na rua com quem Valeska vai ficar na novela, também é comum questionarem se Igor já se viu na disputa de um amor. A resposta é sim. "É normal dois amigos olharem para a mesma mulher. Se você vai para uma balada pode se interessar pela mesma mulher que o amigo. Mas quando acontece, sempre tem um acordo de cavalheiros, um fala vai lá que eu desisto. Sempre tem alguém que reprime o que sente. Isso já aconteceu comigo, com certeza, mas não me lembro de nenhuma história específica", diz. 

A diferença é que , na história, o Clóvis e o Norberto lutam até as últimas consequências por Valeska. E afinal, quem deve conquistar esse coração tão disputado? "O que seria mais legal para eles é que se os três terminassem juntos, que eles dividissem a Valeska. O desespero do Clóvis é que, se por acaso o Norberto termine com a Valeska, ele vai ficar sozinho. Quem sabe não ficam todos juntos?", aposta Igor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.