Tamanho do texto

Além do bate papo na cozinha, César Mello arregaça as mangas e mostra seu talento com receita exclusiva e saborosa como as servidas por Tadeu, seu personagem em "Babilônia"

Na televisão em "Babilônia" e no teatro com a peça "Mudança de Hábito". Formação em Letras com direito a três prêmios literários na carreira. Ainda canta, dança - já fez aulas de balé - e desenha. Também já foi professor. Para completar, corre e anda de bicicleta mesmo no trânsito maluco de São Paulo.

César Mello cria receita de pizza de bruschetta
Aretha Martins/iG
César Mello cria receita de pizza de bruschetta


Esse é  César Mello , que interpreta o Tadeu na novela das nove da Globo e vive o bandidão Curtis Jackson nos palcos. "Tudo que envolva processo de criação eu acho que me meti", diz o ator ao iG

Além disso, César tem mais um talento. Assim como personagem de "Babilônia", que é dono de um bar, ele manda muito bem nas panelas. E o talento é tanto, que ele não se acanha em sair por aí perguntando as receitas dos pratos que experimenta. "Estou louco para testar a receita de um cuscuz com purê de banana da terra que comi um dia desses no Projac", confessa. Assim, acaba também criando as próprias receitas, como a bruschetta de pizza.  

Já que cozinha é um ambiente familiar, batemos um papo com o galã no Caê Ateliê de Cozinha e ele conta como é sua vida dentro e fora da TV. Assista! 


Pizza de bruschetta: clique na foto e veja receita completa. Ou acesse receitas.ig.com.br.

Hmm! Deu água na boca, aprenda a fazer a pizza de bruschetta do ator César Mello
Aretha Martins/iG
Hmm! Deu água na boca, aprenda a fazer a pizza de bruschetta do ator César Mello

Vida saudável

Aos 37 anos, César Mello exibe um corpo sarado, que mantém com corridas, pedaladas e também alimentação saudável. "Gosto muito de comer, isso é uma das coisas que mais me dá prazer", resume. Há 12 anos, o ator começou a tentar seguir uma alimentação mais natural, com frutas e verduras e menos frituras. Confessa que ainda come carne vermelha, mas a preferência são os alimentos mais leves. 

Hobby a dois

Para facilitar, a namorada, a atriz Renata Vilela, também o acompanha nos pratos mais leves. E quando não estão trabalhando, gostam de relaxar na frente da televisão. "Meu passatempo é o que eu fiz ontem a noite: ligar a TV, colocar um bom filme e relaxar. Eu assisti “O Grande Hotel Budapeste”", conta.

Renata o acompanha nas maratonas de filmes e seriados. "Adoro séries. Terminei agora a terceira temporada de 'Modern Family', comecei a mais nova temporada de 'House of Cards'. A Renata adora também. Tinha assistido 'Breaking Bad' inteiro já e falei que ela precisava assistir. A gente viu inteiro de novo".


Pai do Rei Leão

César e Renata moram juntos em São Paulo. Como a novela "Babilônia" é gravada no Rio de Janeiro e a peça "Mudança de Hábito" está em cartaz na capital paulista, o ator vive na ponte áerea. Mas isso não é um problema. "Tenho problema com o ócio. Não consigo ficar muito tempo sem fazer nada e sempre aproveito o tempo nos aviões e aeroportos para ler, estudar texto, fazer alguma coisa", explica. 

"São Paulo é muito mais violento que o Rio. Morei quatro anos lá e nunca vi nada. Em São Paulo, na primeira semana de peça, um casal foi assaltado perto do teatro", lembra. Antes de "Mudança de Hábito", César viveu Mufasa no musical "O Rei Leão" e foi nessa época que se mudou para a cidade e conheceu Renata. 

Telecurso

Na lista de habilidades de César Mello que aparece lá no começo da matéria, a que veio primeiro foi a literatura. Ele foi um devorador de livro desde a infância. "Meu primeiro livro acho que foi uma tia que me deu, a tia Nair, e era um livro com histórias bíblicas. Ficava lendo o dia inteiro. Tinha uns seis ou sete anos. Sempre gostei muito de ler e lia um livro por semana", lembra. Foi na infância também que César começou na música, dentro da igreja. 

Trabalhar no teatro era maravilhoso, mas senti falta de um amparo financeiro. Por isso, fui procurar a TV e o meu primeiro trabalho foi como apresentador do 'Telecurso 2000'"

E, em pouco tempo, já estava nos palcos. "Sou cria do teatro. Passei 12 anos trancafiado, fazendo teatro de pesquisa", comenta. A TV surgiu na necessidade financeira. "Trabalhar no teatro era maravilhoso, mas senti falta de um amparo financeiro. Por isso, fui procurar a TV e o meu primeiro trabalho foi como apresentador do 'Telecurso 2000'. Tinha diretor que já tinha trabalhado comigo e me chamou para o meu primeiro teste em novelas. Fiz e passei", conta. "Não era uma coisa muito difícil porque eu tinha dado aula muito tempo, dei aula de história, de química, estava em um ambiente familiar", completa. 

Em 2009, César estreou em "Viver à Vida". "Dei sorte. No primeiro, peguei o personagem e virei o Ronaldo", fala. Depois ele ainda viveu o Chico, em "Lado a Lado", em 2012. 

Quando comecei a assistir à 'Viver à Vida', não aceitava e ficava questionando: 'Por que essa cena? por que esse take?' Hoje, exerço a arte do desapego com muito mais facilidade"

Desapego

A transição do teatro para a televisão não foi muito simples. "No teatro, você tem participação em todos os estágios do espetáculo. Na novela, você entra, grava e entrega aquela filmagem para o diretor. O corte não é seu, a montagem da cena não é sua, a música que colocam não foi você quem escolheu. Quando comecei a assistir à 'Viver à Vida', não aceitava e ficava questionando: 'Por que essa cena? por que esse take?' Hoje, exerço a arte do desapego com muito mais facilidade", explica. Ele não se assistia como Ronaldo, mas, agora, acompanha as cenas de Tadeu. 

"Uma vez, conversando com Gabriel Braga Nunes, ele disse que a gente iria ter muito orgulho de fazer essa novela. E isso já chegou. É uma linda novela"

Orgulho de "Babilônia"

César Mello ainda defende "Babilônia". A novela, que está no ar desde março, sofreu críticas da ala mais conservadora e evangélica ao exibir personagem como o casal gay Teresa ( Fernanda Montenegro ) e Estela ( Nathalia Timberg ) ou a vilã assassina Beatriz ( Gloria Pires ). A trama ainda mostra Paula ( Sheron Menezes ), uma advogada negra que enfrenta o preconceito. "Essas mulheres têm características que, de alguma forma, o Brasil não quer ver.", resume César.  

Para ele, esses temas devem ser abordados e servem como um alerta para a sociedade, de que problemas como o preconceito ainda existem. "Uma vez, conversando com Gabriel Braga Nunes , colega de elenco de César), ele disse que a gente iria ter muito orgulho de fazer essa novela. E isso já chegou. É uma linda novela", afirma. 

Agradecimento

Caê Ateliê de Cozinha - http://www.caeatelie.com.br/

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.