Tamanho do texto

De "muso" fitness exibido a cientista caridoso, diversidade entre competidores dá o tom em nova fase de seleção

Participantes inusitados foram o destaque do segundo dia de audições do "MasterChef Brasil", exibido na noite de terça-feira (22) pela Band. Paola Carosella , Erick Jacquin e Henrique Fogaça avaliaram candidatos de Portugal, Inglaterra, China e até Tailândia, que colocaram o talento à prova na cozinha.

A tailandesa Yukontorn Tapabutt fez sucesso entre o público e é comparada a Jiang Pu
Reprodução/Band
A tailandesa Yukontorn Tapabutt fez sucesso entre o público e é comparada a Jiang Pu


A primeira participante avaliada pelos jurados foi  Yukontorn Tapabutt . De origem tailandesa, a professora de inglês chamou a atenção logo que entrou na cozinha devido ao seu sotaque e carisma. De imediato, fãs do reality a compararam com a chinesa Jiang Pu , a queridinha da segunda temporada do "MasterChef". Apesar de ter caído nas graças do público, Yukontorn não foi aprovada por Paola, Jacquin e Fogaça, mas foi incentivada a retornar em outra temporada. 

Outro estrangeiro que se destacou na noite foi Leonardo . Com descendência chinesa e austríaca, o participante conseguiu sua vaga na competição ao preparar um macarrão carbonara. Além dos jurados, Leonardo conquistou também o público e já é chamado de "galã" da edição nas redes sociais. 

Com pinta de galã, Kauã quis aparecer mais do que cozinhar e foi eliminado pelos jurados
Reprodução/Band
Com pinta de galã, Kauã quis aparecer mais do que cozinhar e foi eliminado pelos jurados


Kauã , de 23 anos, chamou a atenção ao preparar uma sobremesa fitness. Com pinta de galã, o comerciante disse que queria participar do "MasterChef" para "mostrar quem ele é". Os jurados não se convenceram de que ele realmente queria ser um cozinheiro e não o aprovaram para a próxima fase.

Paola chora com discurso de participante
Reprodução/Band
Paola chora com discurso de participante

Choro

O participante Lee , um cientista de 56 anos, fez Paola chorar novamente no reality ao fazer um discurso sobre o desperdício de alimento e revelar sua intenção de criar um empreendimento para cozinhar com sobras. "Gosto muito de cozinhar, gosto muito de ciências e se vocês gostarem da minha comida, vão me ajudar muito num projeto, num sonho antigo meu, que é abrir um laboratório para pesquisas. Fiz universidade de graça nesta terra e é a forma que eu tenho para devolver", disse o cientista de origem japonesa, que foi aprovado pelos jurados.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas