Tamanho do texto

Sertanejo universitário é um dos mais criticados, mas o funk também é contestado; Relembre as vezes em que avacalharam a música brasileira

Da MPB ao sertanejo, do pop ao funk, a música brasileira sempre foi muito celebrada em praticamente todos os cantos do mundo. No entanto, essa diversidade não é tão apoiada no nosso País.

Leia também: Tiago Iorc reaparece e lança álbum de inéditas

Lulu Santos, Jorge Vercillo e Deborah Blando
Montagem
Lulu Santos, Jorge Vercillo e Deborah Blando


Alguns estilos da música brasileira , como o sertanejo e o funk, são muito criticados principalmente por suas letras “vazias” e “sem significado nenhum”, como dizem alguns críticos. Um bom exemplo disso é Anitta. Algumas canções da cantora, que é a maior estrela do funk nacional atualmente, já virou alvo de inúmeras críticas por conta de suas canções.

Abaixo, separamos as dez vezes em que nossa  música  foi duramente criticada por vários famosos.

  • Lulu Santos

Em 2017, Lulu Santos usou o Twitter para publicar comentários sobre as canções que fazem sucesso no Brasil.

“Caramba! É tanta bunda, polpa, bumbum granada e tabaca que a impressão que dá é que a MPB regrediu pra fase anal. Eu, hein?”, escreveu.

Posteriormente (e depois de muita discussão entre seus seguidores), o cantor se explicou, já que os internautas entenderam a mensagem como uma indireta para Anitta, que havia lançado uma música no mesmo dia.

“Que fique bastante claro que minha opinião sobre as letras escatológicas, pessoal, intransferível e soberana, nada tem a ver com Anitta, de quem gosto e a quem respeito, muito menos com as periferias onde se continua fazendo excelente arte e vida. Respeito! Grato”, explicou.

  • Deborah Blando

Na última semana, Deborah Blando virou alvo de vários comentários. Tudo isso porque a cantora também divulgou sua opinião sobre a cultura musical do país, afirmando que as músicas que fazem sucesso por aqui viraram “pornográficas” ou “de corno”, com letras “machistas e grotescas”. E, ao falar sobre seu último show no Brasil, Deborah afirmou que “trabalhar no Brasil se tornou inviável para quem tem talento”.

  • Jorge Vercillo

Outro cantor que falou sobre o assunto foi Jorge Vercillo. Longe da mídia há um certo tempo, o artista criticou, em 2018, a má qualidade da música atual. “A MPB anda muito pobre, fraca, infantil, feia e sem imaginação”, apontou.

Leia também: Elza Soares vira Cidadã Honorária de Belo Horizonte e faz show na cidade

  • Joana Balaguer

Ainda no ano passado, Joana Balaguer, que fez parte do elenco de “Malhação”, entre 2005 e 2007, comentou sobre o hit Que Tiro Foi Esse? , de Jojo Todynho. “Imagina as festas infantis, todo mundo dando tiro e fingindo que tá morrendo?”, disse em seu Instagram Stories.

Depois, diante da repercussão das críticas, a atriz se explicou: “Eu não tenho nada contra a música, muito pelo contrário. Acho que a música fica, é viral, é animada, e tem aquela coisa do brasileiro de dançar. Estão me falando que é tiro de amor, tipo que ‘chegou lacrando’, só que o que me incomodou não é a música. Mas os vídeos das pessoas fingindo que estão morrendo, levando um tiro”, disse.

  • Victor Chaves

Apesar de também ser um cantor sertanejo, Victor Chaves, da dupla com Leo, se posicionou contra o rumo que a música sertaneja tomou. Durante um evento em São Paulo, em 2013, o compositor disse: “Existe uma pornografia na música atual chamada sertaneja. A maior parte das canções das duplas atuais eu não deixaria meu filho ouvir. E já falei ao Leo para que sobrinhos meus e filhos dele não ouçam”.

  • Zezé di Camargo

Zezé di Camargo, uma das maiores vozes da música caipira, comentou sobre o movimento universitário do sertanejo. “A música sertaneja piorou de uns cinco anos para cá. O espaço para a gente está melhor, porque hoje rola sertanejo até em balada, né? No nosso tempo não era assim. Mas não entendo isso, a música ficou ruim e conquistou muito público”, disse, em 2012.

  • Rita Lee

Conhecida por não ter papas na língua, Rita Lee não chegou a criticar, exatamente, um estilo de música específico. Mas para bom entendedor, meia palavra basta, não é mesmo? Ao ser questionada por uma seguidora do Twitter, que disse que a irmã só escutava Luan Santana, Restart e Justin Bieber, a cantora foi categórica.

“Tranque a menina no congelador”, respondeu.

  • Lobão

Já deu para perceber que o sertanejo é um dos maiores injustiçados dessa lista, não é mesmo? Outro famoso que criticou o estilo foi o cantor Lobão que, em 2011, fez declarações polêmicas. “As pessoas não sabem mais o que é rock n’ roll. Cara, esse agrobrega, esse sertanejo ‘universiotário’ é uma demência”, declarou.

Leia também: Erasmo Carlos: “Fico assustado com esse governo, só vejo abobrinhas”

  • Supla

Durante sua temporada como jurado do “Ídolos”, programa já extinto do SBT , Supla criticou o ritmo sertanejo dos candidatos que passaram pelo programa, dizendo que não aguentava mais ouvir música caipira nas apresentações. Além disso, o artista usou o termo “sertanojo” para falar do assunto.

  • Aguinaldo Silva

Mais uma vez, a música de Jojo Todynho foi duramente criticada. Aguinaldo Silva, renomado autor de novelas, comentou sobre a canção no ano passado, nas redes sociais. “Infelizmente as mais de mil pessoas vítimas de balas perdidas no Rio de Janeiro ano passado não podem levantar de suas tumbas e sair cantando alegremente por aí: ‘ Que Tiro Foi Esse? ’”, refletiu o autor sobre a música brasileira.

    Leia tudo sobre: músicas