Tamanho do texto

Filha do literata confirmou a morte em sua conta do Twitter; Fania agradeceu o carinho e explicou que não está pronta para falar mais a respeito

O escritor israelense e co-fundador do movimento pacifista “Paz Agora”, Amos Oz, morreu aos 79 anos de idade nesta sexta-feira (28), escreveu sua filha no Twitter. Segundo ela, o literata sofria de câncer.

Leia também: Stephen King: o mestre do terror na literatura e no cinema

Amos Oz morreu de câncer. Filha confirmou a morte no Twitter
Divulgação
Amos Oz morreu de câncer. Filha confirmou a morte no Twitter

"Meu amado pai morreu de câncer, agora mesmo, depois de um rápido declínio, em seu sono e tranquilidade, cercado por pessoas que gostava. Por favor, respeitem nossa privacidade. Eu não posso responder a chamadas. Obrigado àqueles que o amavam", escreveu Fania Oz-Salzberger, filha de Amos Oz , em sua conta do Twitter .

Leia também: Como o escritor Yuval Harari se tornou um dos grandes pensadores do século XXI

Detentor de um extenso currículo de produção literária, o autor escrevia livros românticos, ensaios e críticas desde os anos 1960. Como escritor e ativista político, foi um dos intelectuais mais reconhecidos de seu país.

Seu livro mais conhecido é o romance autobiográfico "Rimas da vida e da morte" (2003), que acabou ganhando notoriedade como uma obra-prima da literatura mundial.

Leia também: Internet e crises culturais transformam poesia e consagram nova ordem de poetas

Entre os trabalhos famosos de Amos Oz , ainda estão os livros "Meu Michael" (1973), "A caixa preta" (1988), "Conhecer uma mulher" (1991), "Pantera no porão' (1997) e "O mesmo mar" (2002).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas