Tamanho do texto

Paul Haggis foi acusado de abuso sexual e tentativa de estupro

Vencedor do Oscar com o filme  “Crash - No limite”, o cineasta Paul Haggis foi acusado de abuso sexual  e  tentativa de estupro em janeiro desse ano por uma mulher chamada Haleigh Breest. O caso, que teria acontecido em 2013, deve seguir para julgamento à frente de um júri popular por decisão do juiz Robert Reed, da Suprema Corte de Nova York. 

Leia também: Cineasta ganhador do Oscar é acusado de assédio sexual por diversas mulheres

O cineasta Paul Haggis dirigiu filmes como “Crash - No limite” e “007 – Cassino Royale”
Reprodução/Twitter
O cineasta Paul Haggis dirigiu filmes como “Crash - No limite” e “007 – Cassino Royale”


O juiz Robert Reed decidiu nesta quinta-feira (26) que o pedido dos advogados de  Paul Haggis para anular o processo não eram válidos, dizendo que uma decisão a favor do cineasta abriria precedente para qualquer pessoa processada por qualquer motivo alegar ser vítima de " transtorno emocional ". 

Defesa de Paul Haggis 

Christine Lepera, advogada que representa o diretor no caso, tentou argumentar que a acusadora Haleigh Breest procurou o equipe do artista para tentar fazer um acordo por seu silêncio no valor de US$ 9 milhões, e que o processo havia causado "transtornos emocionais" no cineasta.

Paul Haggis foi acusado de assédio sexual e irá a juri popular
Copyright Sony Pictures
Paul Haggis foi acusado de assédio sexual e irá a juri popular

Segundo o  The Hollywood Reporter , o que aconteceu não foi uma conversa normal para um acordo financeiro, mas sim uma extorsão. "Quando você ameaça processar alguém a partir de uma acusação falsa, é revoltante. Todos nós sabemos que o estupro é algo revoltante, mas isso também é".

Leia também: Depois de Weinstein e Affleck, Oliver Stone também é acusado de assédio sexual

A advogada também acusou Breest e sua equipe de tentarem levar às acusações à público para que uma pressão por uma condenação maior ao cineasta. Mas, o juiz desconsiderou o argumento, dizendo que a advogada também vendou a sua versão para a imprensa. 

"O juiz mais uma vez desconsiderou o argumento: "Eu li a sua resposta ao processo também. Você fez a mesma coisa, vendendo a sua história para a imprensa. Esse caso se tornou público porque vocês processaram".

Leia também: 20 escândalos sexuais que marcaram a carreira de celebridades

Além da publicitária, outras três mulheres, que preferiram se manter anônimas, também acusam Paul Haggis de estupro. A data para o seu julgamento deve ser definida em breve.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.