Tamanho do texto

Ano ficou marcado por shows históricos como a despedida do Black Sabbath e a reunião do Guns n' Roses; além, claro, dos ingressos bem salgados

Apesar da crise, esse ano contou com diversos shows incríveis pelo Brasil – sobretudo na cidade de São Paulo por ser um dos principais polos culturais do País. Artistas como os Rolling Stones e o Black Sabbath lotaram o estádio do Morumbi – que tem capacidade de suportar exatas 72,039 pessoas. Os festivais de música também bombaram – o Lollapalooza, mais uma vez, invadiu o Autódromo de Interlagos com shows incríveis como os do 21 Pilots e Florence + The Machine. O valor médio do ingresso para curtir um show no ano foi de R$ 547.

Leia mais:  Os dez melhores filmes de 2016

Os ingressos do show de 2016 do Rolling Stone foi o mais caro do ano - chegavam a custar até R$ 900 reais
Divulgação
Os ingressos do show de 2016 do Rolling Stone foi o mais caro do ano - chegavam a custar até R$ 900 reais


Festivais de música

Um ponto alto da agenda de shows de 2016 foram os festivais. O valor mais alto cobrado esse ano de toda a lista ficou por conta do festival de música eletrônica Tomorrowland – o pacote para todos os três dias do evento saia por R$ 1899, enquanto que o ingresso simples para um dia custava R$ 399. Mas se o seu negócio não era música eletrônica, o Z Festival deste ano tinha entradas que variavam entre R$ 200 e R$ 600 – bem mais em conta para quem estava interessado em ver de perto apresentações de Demi Lovato, Anitta, Projota, Tiago Iorc e outros. Já o Lollapalooza – que se tornou uma certeza do calendário de shows de São Paulo – tinha ingressos para todos os bolsos. O mais caro custava R$ 800 e o mais barato saia por R$ 380.

Leia mais:  O que deu certo e errado na TV em 2016

Individuais

Passando dos festivais para as apresentações individuais, esse ano foi recheado de apresentações de artistas internacionais – e alguns vão marcar a história, como o show da turnê de despedida do Black Sabbath ou a reunião do Guns n’ Roses. Para ver o príncipe das trevas ao vivo era necessário desembolsar pelo menos R$ 250 – e R$ 700 para poder acompanhar o show do lugar mais privilegiado do Estádio do Morumbi.

O valor mais alto cobrado para ver uma única banda no palco foi de R$ 900 para ver os Rolling Stones, também no Morumbi. A segunda colocação nesse quesito ficou com o Guns n’ Roses, com um ingresso de R$ 780, e a terceira com o Aerosmith, cobrando R$ 680.

Os dez mais

Os shows e festivais que mais bombaram esse ano – e que fazem parte da nossa lista para calcular o valor total do dinheiro que seria necessário desembolsar para acompanhar todos foram:

- Rolling Stones  (Estádio do Morumbi): R$ 260 a R$ 900

- Lollapalooza (Autódromo de Interlagos): R$ 380 a R$ 800

- Maroon 5 (Allianz Parque): R$ 200 a R$ 650

- Iron Maiden (Allianz Parque): R$ 200 a R$ 580

- Coldplay (Allianz Parque): R$ 240 a R$ 680

- Tomorrowland (Arena Maeda): R$ 399 a R$ 1899

- Aerosmith (Allianz Parque): R$ 260 a R$ 680

- Guns n’ Roses (Allianz Parque): R$ 290 a R$ 780

- Z Festival (Allianz Parque): R$ 200 a R$ 600

- Black Sabbath (Estádio do Morumbi): R$ 250 a R$ 700

Um dos shows de 2016 mais buscados, o festival de música eletrônica teve preços lá no alto - os ingressos chegaram a custar R$ 1899 reais
Reprodução/Tomorrowland
Um dos shows de 2016 mais buscados, o festival de música eletrônica teve preços lá no alto - os ingressos chegaram a custar R$ 1899 reais

E quanto custava curtir todas essas apresentações de camarote? Seria necessário desembolsar exatos R$ 8269 reais para comprar o ingresso mais caro de todos os shows. E quem curte economizar e opta por ficar na pista, para ir a todos os shows seriam necessário R$ 2679 reais – ou seja, gastaria somente um terço do que quem ficou pertinho dos artistas.

O que dá para fazer?

R$ 8269 reais não é um dinheiro de se jogar fora, mas, o que dá para fazer com essa quantia? Assim “do nada” é até difícil escolher com o que gastar a grana que seria utilizada para dar às caras em todos esses shows nos setores mais bem acomodados, mas separamos uma pequena lista com o que é possível fazer com o valor desses ingressos e dar algumas ideias. Com esse dinheiro, por exemplo, dá para comprar uma moto Suzuki GRS150i que, no site da marca, está listada por R$ 7990 reais.

Câmera Canon EOS 7D - R$ 7400,00
Reprodução
Câmera Canon EOS 7D - R$ 7400,00

Para quem é mais chegado no consumismo, dá para comprar muito coisa bacana com até menos que R$ 8 mil reais: as famosas bolsas fendi, utilizada por várias famosas, custam por volta de R$ 7991 reais cada uma – os modelos mais simples saem por US$ 2400. Já quem curte registrar momentos com uma altíssima qualidade, a sugestão fica em investir em uma câmera Canon EOS 7D que custa aproximadamente R$ 7400 reais – e ainda sobra um troquinho para uma iluminação legal, que custa em média entre R$ 150 e R$ 700 reais.

Se você for do tipo de gosta de arte digital, pode investir em um Macbook de 12 polegadas da Apple por R$ 7600 reais – ou em um display interativo da Wacom: o modelo DHT1300i da Cintiq custa mais ou menos R$ 8 mil reais. Falando em Apple: com esse valor dá para comprar dois Iphones 7 de 128GB de memória ou dois Apple Watch Series 2.

Franquia Light-Depil - a partir de R$ 6000,00
Reprodução
Franquia Light-Depil - a partir de R$ 6000,00

Mas, caso tenha preferência por negócios e administração, essa grana pode ser transformada em uma franquia – que irá gerar mais lucro. As opções de investimento variam – a maioria fica na faixa dos R$ 5 mil à R$ 7 mil reais. Com essa grana você pode abrir seu próprio negócio de depilação. Uma franquia da Light Depil sai por R$ 6 mil reais – e ainda sobram mais de R$ 2 mil reais para dar aquele gás nos negócios. Para quem curte algo mais natural, mas não deixa o empreendedorismo de lado, a Ama Terra aceita investimentos à partir de R$ 1 mil reais.

Leia mais:  Músicas de 2016: listamos os 10 singles que marcaram o ano

Deixou de ir a todos esses shows porque prefere ficar no conforto de casa? Sem problemas: com essa grana você pode ter um cinema particular na sua sala de estar. Um projetor fica na média de R$ 3500 reais, um bom sistema de som sai cerca de R$ 900 reais, um sofá de couro para lá de confortável – bem mais que as poltronas das salas convencionais de cinema – R$ 3300 reais e, para finalizar, um aparelho de Blu-ray para assistir filmes em alta qualidade sai R$ 400 reais. E ainda sobra para comprar um filminho e uma pipoca.

68 anos de mensalidade no Amazon Prime Video
Divulgação/Amazon Prime Video
68 anos de mensalidade no Amazon Prime Video

Mas se isso não te atrai e o negócio é assinar serviços de streaming – e ter uma vasta programação por um preço fixo – vai se animar em saber que com R$ 8269 reais é possível pagar 23 anos inteiros de Netflix – as mensalidades do plano Ultra HD saem por R$ 29,90. E, felizmente, o Amazon Prime Video acabou de chegar ao Brasil por módicos R$ 9,99 mensais – ou seja, seriam 68 anos da plataforma. Filmes não são sua praia também? Com uma média de R$ 80 por jogo, é possível adquirir mais de 100 títulos diferentes na loja Steam – loja virtual de games.

O seu negócio mesmo é viajar e viver novas experiências? Para assistir um final de semana do Desert Trip que rolou esse ano em Indio, na Califórnia, por exemplo, você desembolsaria R$ 7269 reais – são R$ 5324 pelo melhor ingresso para os três dias de programação, mais R$ 1945 reais pela hospedagem para duas pessoas em uma casa no Airbnb e ainda sobram R$ 1 mil reais para outras despesas. O Tomorrowland que rola em Boom, na Bélgica, também é uma opção excelente e muito tentadora – entre ingressos, passagem e hospedagem seriam gastos mais ou menos R$ 4500 reais. Uma viagem de 12 dias do outro lado do mundo, em Tóquio no Japão, teria o preço equivalente ao valor dos ingressos dos dez shows de 2016. Todos os valores estão disponíveis no Airbnb. Já se convenceu de quanto vale curtir esses shows?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas